Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Percy Jackson | Série dá à Medusa um passado muito mais pesado e sombrio

Por| Editado por Durval Ramos | 02 de Janeiro de 2024 às 15h37

Link copiado!

Divulgação/Disney+
Divulgação/Disney+

O terceiro episódio de Percy Jackson e os Olimpianos, série do Disney+ que adapta a obra de Rick Riordan para as telinhas, trouxe uma mudança bastante significativa para Medusa, a mulher que petrifica qualquer um com o olhar. Embora na produção da Disney a criatura mitológica tenha essencialmente a mesma participação que nos livros, a série buscou “atualizar” a sua história, dando à personagem um passado muito mais sombrio e complexo que humaniza suas ações. 

A mudança, além de fazer parte de um movimento cultural que vem buscando desmistificar certas figuras mitológicas — especialmente as femininas, nem sempre pintadas com muita profundidade ou simpatia na Antiguidade —, também partiu do próprio Rick Riordan, que tinha vontade de ajustar alguns aspectos de sua história, escrita no começo dos anos 2000.

Continua após a publicidade

De acordo com o produtor executivo do show, Jonathan Steinberg, em entrevista ao Polygon, a ideia era de que, mesmo sem mexer nos acontecimentos vividos no capítulo Nossa Visita ao Empório de Anões de Jardim, a série pudesse apresentar uma Medusa muito mais identificável. E, claro, que mostrasse a criatura mitológica muito menos como um monstro e muito mais com uma mulher que viveu uma história triste em seu passado.

“A única razão pela qual Medusa não é mais desenvolvida nos livros é que aquela era a narrativa de Percy e não temos a sua perspectiva", explicou Rebecca Riordan, que é casada com Rick e produtora excutiva da série, à Variety. "Portanto, uma das primeiras coisas sobre as quais conversamos [para o novo show] foi sobre como não ter lentes patriarcais", explicou a profissional.

O passado sombrio de Medusa

Para quem não se lembra da participação de Medusa em Percy Jackson, tudo começa quando o trio de protagonistas, composto por Percy, Grover e Annabeth acaba indo parar no “bazar de gnomos da Tia M” enquanto estão sendo perseguidos por uma Fúria.

Continua após a publicidade

Embora, no livro, os personagens demorem para perceber quem é a mulher que os acolheu, a Tia M já se apresenta como Medusa na série e Percy, que se lembra do conselho de sua mãe sobre nem tudo parecer ser aquilo que de fato é, decide dar um voto de confiança para a suposta vilã.

Enquanto conversam com o ser mitológico, que tem seus olhos escondidos o tempo todo por um véu, Medusa conta sua história para os jovens. Um passado alinhado a uma versão revisitada da mitologia, na qual Medusa era uma sacerdotisa de Atena, virgem e totalmente devota a ela, mas que acabou despertando a fúria da deusa por se envolver com Poseidon.

Embora, na série, a personagem conte que foi seduzida pelo Deus do Mar, sem entrar em detalhes sobre o seu relacionamento, há um subtexto muito forte de que Poseidon abusou sexualmente da jovem. Uma situação que envergonhou Atena e fez com que ela castigasse Medusa (ao invés do pai de Percy), transformando-a em um monstro com cabelos de serpente e olhos que petrificam a qualquer um.

Continua após a publicidade

Uma visão menos romanceada da mitologia

A revelação feita por Medusa, embora essencialmente não interfira no desenrolar da trama — já que, assim como nos livros, a personagem acaba se voltando contra o trio —, faz com que o público entenda melhor as motivações da criatura para buscar vingança. E, mais ainda, faz com que Percy, Grover e Annabeth tenham mais consciência da falta de empatia que os deuses possuem por figuras mortais.

Ao contar sua história, inclusive, Medusa chega a jogar na cara de Annabeth que a semideusa é completamente descartável para Atena. “Eu não era como você, querida. Eu era você. Eu a teria adorado por toda a vida… em silêncio”, diz a muher para uma jovem que parece não saber no que acreditar.

Continua após a publicidade

Além disso, a revelação faz com uma das cenas finais do capítulo — quando Percy decide enviar a cabeça decapitada de Medusa para o Olimpo — ganhe um peso ainda mais sombrio quando mostrada.

Embora mantenha o mesmo tom juvenil do resto da narrativa, e Percy tente maquiá-la para os amigos falando que os deuses talvez possam interpretá-la como uma "homenagem", todos eles sabem que o ato será considerado um grande desrepeito. Um tipo de desacato para o qual, nessa altura, Percy parece não ligar muito.

Os três primeiros capítulos de Percy Jackson e os Olimpianos já estão disponíveis no Disney+ e outros cinco chegam semanalmente ao streaming, sempre às terças-feiras.