Novo vírus da China faz nona vítima fatal e chega até a Austrália e os EUA

Por Fidel Forato | 22 de Janeiro de 2020 às 11h23
Getty Images

O novo vírus da China continua a se espalhar pelo mundo. Nesta terça-feira (21), a nona pessoa faleceu vítima da nova forma do coronavírus que se originou na cidade chinesa de Wuhan. As autoridades de saúde do país também confirmaram que o número de casos oficiais aumentou para mais de 440.

Responsável por causar febre, tosse, falta de ar, dificuldades respiratórias e até um tipo de pneumonia, o coronavírus já se alastrou para o Japão, Tailândia, Twaian e Coreia do Sul. Agora, chegam também relatos de que o vírus — chamado de 2019-nCoV — foi identificado na Austrália e nos Estados Unidos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Na cidade australiana de Brisbane, um homem, depois de voltar de um período de férias na China, descobriu que portava o vírus. Já o indivíduo infectado nos EUA foi detectado na cidade de Seattle, segundo um porta-voz do Centro de Controle e Prevenção de Doenças do país. As autoridades norte-americanas ainda não divulgaram mais detalhes sobre o caso.

Novos casos do vírus chinês são confirmados nos Estados Unidos e na Austrália (Foto: Eugene Hoshiko/AP Photo)

Medidas de segurança

Mesmo que o primeiro caso só tenha sido relatado nesta terça (21), os Estados Unidos já examinavam desde sexta-feira (17) viajantes que chegavam em voos, que de forma direta ou indiretamente passavam pela região chinesa, nos aeroportos americanos de São Francisco, Nova York e Los Angeles.

Entre as medidas internacionais, a Coreia do Norte proibiu temporariamente a chegada de turistas estrangeiros em resposta ao surto do vírus chinês, segundo a Reuters.

No Brasil, o boletim epidemiológico do Ministério da Saúde informa que não há nenhum caso suspeito, mas determinou à Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) que oriente viajantes, em portos e aeroportos, a tomarem medidas preventivas para evitar o contágio.

Histórico do vírus

Esta semana, a China também confirmou que o vírus pode ser transmitido entre pessoas. Previamente, os cientistas acreditavam que o contágio não acontecia entre humanos e que a fonte primária do vírus era animal, provavelmente vindo do mercado de frutos do mar localizado na cidade de Wuhan.

A poucos dias de um dos seus maiores feriados nacionais, o Ano Novo Lunar, o presidente chinês Xi Jinping, em pronunciamento na televisão estatal, disse que "a vida e a saúde das pessoas devem receber a maior prioridade e a disseminação do surto deve ser resolutamente controlada."

O aumento de casos do novo coronavírus se assemelha geneticamente ao vírus SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave). A epidemia desse vírus semelhante aconteceu em 2002 e também se originou na China, matando 700 pessoas em todo o mundo.

No Brasil, houve suspeita do vírus, que teria sido trazido a Minas Gerais por uma mulher que viajou a Xangai. O Ministério da Saúde negou a contaminação e o Brasil, até o momento, segue isento de casos de infecção por coronavírus.

Fonte: Axios e El País

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.