Variante do coronavírus encontrada no Reino Unido já chegou a cerca de 50 países

Por Natalie Rosa | 14 de Janeiro de 2021 às 18h40
fernando zhiminaicela/Pixabay

O mês de dezembro ficou marcado pela descoberta de uma nova variante do coronavírus no Reino Unido, trazendo preocupações em relação à eficácia das vacinas que estão sendo desenvolvidas. Agora, segundo declaração da Organização Mundial de Saúde (OMS), ela já se espalhou para 50 países em todo o mundo.

A variante, batizada de VOC 202012/01, foi encontrada pela primeira vez no dia 14 de dezembro, e no dia 18 outra variante foi registrada na África do Sul, a 501Y.V2. A primeira, de acordo com os dados da OMS, já foi identificada em 50 países, áreas e territórios, e a segunda em 20. Em ambas as variantes, foram registradas evidências de propagação mais rápida do vírus, mas não de que ela pode resultar em uma forma ainda mais grave da COVID-19.

Imagem: Reprodução/outsideclick/Pixabay

Segundo os cientistas, as cepas do vírus compartilham da mutação N501Y em comum, sendo uma leve alteração em uma parte da proteína spike, que se prende às células humanas para infectá-las. Essa mudança, portanto, pode ser o motivo de as variantes serem mais contagiosas que a primeira. Na última terça-feira (12), a OMS informou que uma possível terceira variante foi encontrada no Japão, o que ainda está sob investigação. No dia 9 de janeiro, o país informou a OMS que a variante foi encontrada em quatro viajantes que estiveram no Brasil, sendo dois adultos e duas crianças.

A organização diz que o surgimento das variantes mostra a importância da capacidade de diagnóstico e sequenciamento do vírus. "Quanto mais o vírus SARS-CoV-2 se espalha, mais oportunidades ele tem se alterar. Altos níveis de transmissão significa que nós devemos esperar que mais variantes surjam", completa a OMS.

Fonte: Al Jazeera  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.