Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Tem medo de filme de terror? Entenda por que amamos assistir mesmo assim

Por| Editado por Luciana Zaramela | 17 de Janeiro de 2022 às 16h45

Link copiado!

wayhomestudio/Freepik
wayhomestudio/Freepik

Entre os mais diversos gêneros que existem no cinema e na televisão, o mais controverso, sem dúvidas, é o terror. Este público, então, é dividido entre os fãs, aqueles que não perdem a oportunidade de conferir todo e qualquer lançamento, entre os que têm medo e não assistem de jeito nenhum, e aqueles que sentem medo, mas assistem mesmo assim.

Se você se encaixa na terceira opção, ou conhece alguém que se sente assim, já parou para se perguntar o por que algumas pessoas sentem medo de filme de terror, mas ainda assim gostam de assistir? A resposta pode até parecer simples, mas é um tanto quanto complexa.

Continua após a publicidade

Medo e empolgação

Coltan Scrivner, pesquisador da Universidade de Chicago especializado em psicologia e curiosidade mórbida, falou sobre o assunto. "Pessoas que são altamente dispostas a buscar por sensações tendem a ter prazer com sentimentos extremos. E filmes de terror são uma forma de fazer isso", conta o especialista.

Scrivner fala sobre as pessoas que têm um medo genuíno de filmes de terror, mas ainda assim gostam de assistir às produções do gênero. "Essas são as pessoas que aprendem algo sobre elas mesmas através de experiências assustadoras", pontua.

O especialista diz que sensações assim são vistas em crianças que gostam de brincadeiras emocionantes ou assustadoras, revelando que essas são as que possuem um risco menor de sofrer de ansiedade, por exemplo, no futuro. "Elas estão aprendendo a lidar com emoções negativas, empolgação extrema e aprendendo que podem superar essas situações", diz o pesquisador.

Com isso, o profissional pontua que existe uma teoria bastante popular que afirma que o horror permite que as pessoas ensaiem situações perigosas e assustadoras em um espaço seguro. "A ansiedade e o medo são sentimentos que as pessoas tentam evitar no dia a dia, então não precisamos ter uma prática nisso", explica. "Mas experienciar essas emoções de uma forma divertida permite que você se sinta no controle. É como um simulador de voo", compara.

Real e ficção

Além disso, alguns dos medos e perigos que vemos nos filmes têm raízes no medo primitivo. Isso é visto, por exemplo, quando as produções imitam sons naturais que, de forma instintiva, significam perigo. No clássico O Exorcista, é possível ouvir sons assustadores que misturam um enxame de abelhas com pessoas gritando.

Continua após a publicidade

Scrivner explica que muitos estudos descrevem as sensações de perigo até mesmo em jogos e brincadeiras que parecem inocentes, como o pega-pega. "Mas se você prestar atenção, é simplesmente um jogo de perseguição a predadores. É o mesmo com o esconde-esconde, você está essencialmente se escondendo de alguém tentando te pegar", compara o profissional.

O especialista também faz um paralelo com a vida real, dizendo que muitas pessoas buscam pelo espaço seguro trazido pelos filmes de terror para tentar processar eventos assustadores da vida real, como a pandemia da covid-19. "Um grande exemplo é com o filme Contágio, que se tornou popular entre março e abril de 2020. Mostra como a pandemia poderia ser, mas de uma maneira segura", conta.

Terror agradável

Continua após a publicidade

O motivo principal de uma pessoa assistir a um filme de terror, por mais estranho que seja, é por eles serem agradáveis. Scrivner explica que isso está relacionado ao sistema nervoso simpático e ao parassimpático, responsáveis por regular a excitação e a frequência cardíaca.

Coltan exemplifica melhor: "Imagine eles [os sistemas] como dois pedais de acelerador. Quando você está ficando nervoso e ansioso, seu sistema nervoso simpático aumenta seus batimentos cardíacos e a produção de adrenalina", diz. "Então, quando você supera uma situação perigosa, o sistema nervoso simpático se acalma um pouco e o parassimpático acentua", completa.

O especialista explica que o sistema parassimpático é sobre o seu descanso e relaxamento, e que ele aumenta a digestão, inclusive. "Ele libera esses hormônios do bem-estar, basicamente as mesmas coisas que as drogas fazem para você se sentir bem", exemplifica.

Sendo assim, quando você se assusta e fica estressado ao assistir a um filme de terror, o seu sistema parassimpático faz o seu trabalho e, na sequência do estresse, gera uma onda de alívio e prazer.

Continua após a publicidade

Fonte: ScienceFocus