Surtos de gripe explodem no Brasil; veja situação de cidades e estados

Surtos de gripe explodem no Brasil; veja situação de cidades e estados

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 15 de Dezembro de 2021 às 14h39
Rawpixel/Envato

Surtos de gripe (influenza) são identificados em estados e capitais brasileiras, como Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador. A situação já acende um alerta para uma possível epidemia atípica da doença respiratória em todo o país.

Se em 2020 e em grande parte de 2021, os casos da covid-19 foram os que predominaram no país e quase nenhum caso de influenza foi registrado, a tendência parece mudar neste dezembro. Normalmente, os casos da gripe aumentam no Brasil entre os meses de abril e julho — a época mais fria do ano. Já que ficar em ambientes fechados tende a contribuir com a transmissão.

Surtos de gripe se espalham pelo Brasil (Imagem: Reprodução/Damirkhabirov/Envato)

No entanto, os surtos atuais ocorrem em dezembro, quando o país se aproxima do verão. Para alguns especialistas, a situação "inusitada" ocorre, principalmente no Rio de Janeiro, pela disseminação do novo vírus da influenza tipo A (H3N2), apelidado de Darwin. A queda no uso de máscaras e das medidas de combate à covid também contribuem com a situação. Outro fator é a baixa cobertura vacinal.

Índices de Srag no Brasil

Para entender a questão da gripe no Brasil hoje, vale lembrar que uma das complicações graves da gripe é a síndrome respiratória aguda grave (Srag), monitorada pelos pesquisadores da plataforma InfoGripe.

Agora, os seguintes estados estão com uma tendência a longo prazo de crescimento "muito alto" da Srag:

  • Rio de Janeiro;
  • São Paulo;
  • Espírito Santo;
  • Bahia;
  • Maranhão;
  • Pará;
  • Amapá;
  • Amazonas;
  • Rondônia;
  • Acre.

No entanto, a Srag não é uma complicação exclusiva da gripe, mas pode ser causada por outras doenças respiratórias, como o coronavírus SARS-CoV-2. No momento, o Brasil passa por uma queda nos números da covid, o que indica que, em nível nacional, outras doenças estão reaparecendo.

Surtos de gripe no Brasil

Rio de Janeiro

Nas últimas semanas, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro foi a primeira a confirmar que a capital era afetada por um um surto da gripe no Brasil. Em números, mais 23 mil casos de influenza foram registrados na cidade nas últimas quatro semanas. Cidades ao redor da capital também confirmam o aumento de infecções.

Nesta temporada, Rio de Janeiro foi o primeiro estado a identificar aumento no número de casos da gripe (Imagem: Reprodução/Rido81/Envato Elements)

Segundo o Boletim InfoGripe da Fiocruz, divulgado na última quinta-feira (9), no estado do Rio de Janeiro "já se observa a presença do vírus influenza A, tanto em crianças quanto na população adulta, entre os casos de Síndrome Respiratório Aguda Grave (SRAG)".

Além disso, os pesquisadores apontam que este deveria ser considerado um alerta. Isso porque "os demais grandes centros urbanos e turísticos" podem importar casos da influenza, como já está ocorrendo. Maior risco são para locais "cujas medidas não farmacológicas para a mitigação da transmissão da covid-19 estejam com baixa adesão".

São Paulo

Na terça-feira (14), a médica Marilande Marcolin, secretária-executiva de atenção hospitalar da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, confirmou que a capital já vive um surto de gripe. “A [variante] Ômicron já está entre nós e há um surto de Influenza na cidade”, afirmou Marcolin, segundo a Veja São Paulo.

Ainda na noite de terça, a Secretaria de Saúde anunciou que passará a fazer testes rápidos para a gripe na rede municipal. A medida busca conter o aumento nos casos de influenza, que afetam a cidade, e deve ajudar a diferenciar os casos da covid-19 — já que os sintomas semelhantes podem causar confusão.

Salvador

Na capital da Bahia, o secretário de Saúde de Salvador, Léo Prates, confirmou que a cidade enfrenta um surto de gripe, na terça-feira (14). Durante todo o ano, foram registrados oficialmente 77 casos de influenza. No entanto, 74 desses registros foram feitos entre o final de novembro e o início de dezembro. Após sequenciamento, 56 foram identificadas como sendo do tipo A H3N2.

Amazonas

Surtos de gripe são relatados em diferentes pontos do Brasil (Imagem: Reprodução/LightFieldStudios/Envato Elements)

No estado do Amazonas, um aumento nos casos da gripe relacionados com o vírus H3N2 também é relatado. Inclusive, a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) emitiu um alerta pedindo reforço na vacinação contra o vírus e adoção de medidas contra a transmissão. Em novembro, foram 62 amostras sequenciadas de H3N2 no estado. Em dezembro, mais 295 casos foram identificados.

Espírito Santo

Além destes, o estado do Espírito Santo registra aumento nos números da gripe. O Laboratório Central (Lacen) notificou um crescimento no número de testes de vírus respiratórios. Segundo o jornal A Gazeta, a demanda por atendimento também é responsável por uma maior procura de atendimento nas unidades de saúde pública das cidades e também na rede particular.

Outras capitais em alerta

No Brasil, outras capitais e estados apontam para a tendência de alta nos casos da Srag, o que pode ser um indicador de um surto da gripe. Segundo a plataforma InfoGripe, as seguintes capitais têm uma tendência "alta" para o crescimento de registros da Srag:

  • Belo Horizonte;
  • Brasília;
  • Cuiabá;
  • Porto Velho;
  • Manaus;
  • Vitória.

Gripe, covid-19 e dengue

Medidas contra a covid-19, como máscaras, também protegem da gripe (Imagem: Reprodução/Gustavo Fring/Pexels)

Além dos casos de gripe que aumentam em localidades do Brasil, o país ainda enfrenta a covid-19. Nesse sentido, é preciso evitar um “surto simultâneo de Covid e gripe”, explicou Marcelo Gomes, coordenador do InfoGripe, para a CNN.

“A gripe não é tão grave quanto a Covid, […] mas se a gente facilita que se chegue em um cenário desses [de surtos simultâneos], isso pode acabar impactando na necessidade de leitos hospitalares”, completou Gomes.

E ainda tem a dengue

Um terceiro problema pode ser os casos de dengue que aumentam nos meses de verão, comentou o secretário de Saúde de Salvador, Léo Prates, para o G1. Sobre a doença, Prates comentou que "80% dos focos estão dentro das casas. As pessoas precisam limpar suas casas, retirar os vasilhames, porque se vier agora um surto de dengue, realmente vamos ver cenas ainda piores".

Fonte: Com informações: InfoGripe, Agência Fiocruz, CNN, G1 (1) e (2), Veja São PauloA Gazeta

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.