São Paulo vai fazer testes rápidos contra gripe em unidades de saúde

São Paulo vai fazer testes rápidos contra gripe em unidades de saúde

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 15 de Dezembro de 2021 às 12h30
Polina Tankilevitch/ Pexels

A Prefeitura de São Paulo passará a fazer testes rápidos para a gripe na rede municipal de saúde a partir desta semana. A medida busca conter o surto de influenza que afeta a cidade e deve ajudar a diferenciar os casos da covid-19 — já que os sintomas semelhantes podem causar confusão.

Em novembro, foram feitos 111.949 atendimentos de pessoas com sintomas gripais, sendo 56.220 suspeitos da covid-19. Apenas na primeira quinzena de dezembro, o número total saltou para 91.882, sendo 45.325 suspeitos da infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2.

Casos de gripe disparam em SP e prefeitura passa a adotar testes rápidos para influenza nas unidades de saúde (Imagem: Reprodução/LightFieldStudios/Envato Elements)

Vale lembrar que a influenza sazonal é uma doença infecciosa febril aguda com maior risco de complicações em alguns grupos vulneráveis, como idosos e crianças. Em casos graves, a doença pode evoluir para a síndrome respiratória aguda grave (Srag) e até o óbito.

Onde serão feitos os testes rápidos para influenza?

Os testes rápidos para a influenza serão feitos nas unidades de saúde da prefeitura, exclusivamente nos seguintes locais:

  • Unidades de Pronto Atendimento (UPAs);
  • Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs);
  • Prontos Atendimentos (PAs);
  • Prontos-socorros, no setor de triagem.

"Será realizada a testagem pelo método antígeno em pacientes com sintomas gripais. A medida contribui para identificar os casos com maior rapidez e manter o monitoramento do paciente na cidade de São Paulo", comenta a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), em nota.

É importante destacar que os principais sintomas gripais são:

  • Febre;
  • Calafrio;
  • Tosse;
  • Coriza;
  • Dor de garganta;
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga.

Análise laboratorial da gripe em SP

Além da covid-19, a SMS monitora outras doenças virais na cidade, como a gripe. Nesses casos, algumas amostras de pessoas com Srag ou em casos de síndrome gripal são coletadas para análise.

Em seguida, essas amostras são encaminhadas ao Laboratório de Saúde Pública do Instituto Adolfo Lutz, que identifica se de fato trata-se de influenza e também qual o tipo de vírus.

"A identificação dos tipos de cepas virais circulantes permite avaliar o comportamento do vírus da gripe na cidade, subsidiando a SMS em suas ações de assistência, vacinação, campanhas de educação em saúde e demais intervenções pertinentes", explica a prefeitura.

Srag em números

Até dezembro deste ano, a cidade notificou 119.873 casos de Srag, com necessidade de hospitalização. Desse total, 205 (0,2%) foram confirmados como provocados pelo vírus influenza.

A seguir, confira quais tipos de vírus da gripe foram identificados na cidade:

  • Influenza A (não subtipado): 134 casos;
  • Influenza B (não identificada a linhagem): 47 casos;
  • Influenza A (H1N1) pdm09A: 20 casos;
  • Influenza A (H3) sazonal: 4 casos.

Fonte: Prefeitura de SP  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.