Sexo e covid: doença pode ser sexualmente transmissível?

Sexo e covid: doença pode ser sexualmente transmissível?

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 30 de Março de 2022 às 17h20
Garetsworkshop/Envato Elements

A covid-19 pode ser transmitida durante o sexo, mas isso não significa que esta seja uma infecção sexualmente transmissível, como o HIV. Na verdade, a probabilidade de contrair o coronavírus SARS-CoV-2 aumenta quando se está no mesmo ambiente de uma pessoa já infectada. As chances se intensificam ainda mais em distâncias bem pequenas ou durante um beijo, por exemplo.

Em outras palavras, o risco de contrair covid não evolve necessariamente a relação sexual, mas o fato de estar tão próximo — e sem máscaras — de uma pessoa que esteja contaminada, independente das atividades que realizem.

A covid pode ser transmitida durante o sexo, mas não é uma infecção sexualmente transmissível (Imagem: Reprodução/Rawpixel/Freepik)

Como ocorre a transmissão da covid?

O coronavírus se espalha por gotículas respiratórias, liberadas quando alguém tosse, espirra ou fala. Por sua vez, as gotículas podem ser inaladas e, assim, contaminam pessoas próximas que estavam saudáveis. Além disso, a saliva infectada também pode ser trocada durante um beijo ou em outras atividades sexuais.

Outra questão é que os indivíduos contaminados espalham gotículas respiratórias na pele e nos pertences pessoais. Nesse sentido, o parceiro sexual pode contrair o coronavírus tocando essas superfícies e, em seguida, levando a mão para a boca, o nariz ou os olhos. No entanto, "o risco de infecção pelo contato com superfícies contaminadas é baixo", informa a Mayo Clinic.

Coronavírus é sexualmente transmissível?

Pensando exclusivamente na capacidade do vírus da covid-19 ser sexualmente transmissível, até o momento, a ciência não encontrou evidências desse tipo de contágio. Basicamente, o sêmen ou os fluidos vaginais não transmitem especificamente o coronavírus, mas ainda podem carregar inúmeras ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis), como o HPV. Por isso, o uso de preservativos é sempre recomendado.

Apesar de faltarem evidências da transmissão da covid pelo sexo, "o vírus foi detectado no sêmen de pessoas que têm ou estão se recuperando do vírus. Mais pesquisas são necessárias para determinar se o vírus da covid-19 pode ser transmitido sexualmente", explica a Mayo Clinic.

Anteriormente, já foi observado que o coronavírus pode se espalhar através do contato com fezes de pessoas contaminadas. "É possível que você pegue o vírus da covid-19 em atividades sexuais que o expõem a matéria fecal", alerta o centro de pesquisa sobre o risco de possíveis fetiches sexuais com pessoas infectadas.

Faça sexo vacinado!

Na hora do sexo, a melhor forma de se proteger da covid é ter um parceiro vacinado (Imagem: Reprodução/FabrikaPhoto/Envato)

Vale lembrar que, independente de alguns países já encararem a covid como uma endemia, o vírus ainda circula e pessoas morrem em decorrência da infecção. Por isso, é importante que você e seu parceiro estejam vacinados, principalmente quando não moram na mesma casa.

Como os dados de diferentes governos e centros de pesquisa mostram, a vacina pode salvar vidas e, além da sua, ajuda a proteger pessoas que por motivos específicos, como a idade, tenham um sistema imunológico mais comprometido.

Fonte: Mayo Clinic  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.