Sem detalhes, cidade de SP confirma 1º caso da variante Delta do coronavírus

Sem detalhes, cidade de SP confirma 1º caso da variante Delta do coronavírus

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 06 de Julho de 2021 às 13h30
Freepik/tawatchai07

Na segunda-feira (6), a prefeitura de São Paulo confirmou o primeiro caso da variante Delta (B.1.671.2) do coronavírus SARS-CoV-2, identificada primeiro na Índia e considerada mais transmissível e associada a maior evasão imunológica. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o paciente diagnosticado com a COVID-19 é um homem de 45 anos, que "apresentou sintomas leves, passa bem, e está em sua residência". Atualmente, é monitorado pela rede de Atenção Básica.

Questionada pelo Canaltech sobre o histórico de viagem do paciente contaminado pela variante Delta do coronavírus, a SMS comentou que "o órgão investiga a forma de transmissão da doença". Segundo a secretaria, a investigação busca descobrir de que forma ocorreu a contaminação, já que "a pessoa trabalha em casa, diz não ter viajado, e nega ter tido contato com pessoas que viajaram".

São Paulo confirma primeiro caso da variante Delta do coronavírus SARS-CoV-2 (Imagem: Reprodução/IciakPhotos/Envato)

Nesse caso, é possível que o homem tenha contraído a infecção na própria cidade. Segundo essa hipótese, é provável que já ocorra a transmissão comunitária — quando não é possível rastrear a origem da infecção — da variante Delta na capital de São Paulo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Em nota, a secretaria informa que "a SMS monitora outras três pessoas da família (mulher, enteado e filho), que seguem acompanhadas pelas equipes de saúde da UBS local". Eles também apresentaram sintomas na mesma época e de igual forma. Agora, "a gestão municipal enviará as amostras dos três familiares para o Instituto Butantan". Além disso, "os contactantes [de toda a família] estão sendo investigados".

Monitoramento das novas variantes

Desde abril, a capital encaminha parte das amostras de exames RT-PCR positivos ao Instituto Butantan para análise genômica. Por sua vez, o Butantan rastreia e identifica as variantes que mais circulam no município. Esse monitoramento das variantes do coronavírus é realizado através de um cálculo amostral, feito por semana epidemiológica, com cerca de 250 amostras semanais. "Foi por meio desta iniciativa que foi possível identificar o primeiro caso positivo na cidade", explica a SMS.

Além do monitoramento amostral das variantes, "a SMS também fechou acordo de estudo de variantes com o Instituto de Medicina Tropical de São Paulo e com o Instituto Adolfo Lutz, que fazem a vigilância com o objetivo de identificar quais cepas circulam pela cidade", informou a secretaria. As amostras semanais positivas para a COVID-19 são colhidas no Aeroporto de Congonhas e nas rodoviárias da cidade e, posteriormente, encaminhadas para análise genética.

Vale lembrar que o primeiro caso da variante Delta no estado de São Paulo foi identificado em um passageiro de 32 anos que desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, no mês de maio. O viajante voltava da Índia e somente soube do seu diagnóstico após passar por outras cidades. Segundo informações do Ministério da Saúde, a variante Delta já foi responsável por pelo menos duas mortes no país.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.