Rússia registra cepa mais contagiosa que Delta e vive pior momento da pandemia

Rússia registra cepa mais contagiosa que Delta e vive pior momento da pandemia

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 21 de Outubro de 2021 às 16h33
kjpargeter/Freepik

A variante Delta já é um sinônimo de grande preocupação por parte dos especialistas, durante essa luta árdua contra a covid-19. No entanto, a situação não para por aí: um relatório publicado no dia 1º de outubro revelou uma nova sublinhagem da variante. Trata-se da AY.4.2, apelidada de Delta Plus, que vinha circulando no Reino Unido. Nesta quinta (21), foi a vez da Rússia relatar casos dessa nova cepa.

Os especialistas acreditam que essa sublinhagem seja ainda mais contagiosa. De acordo com o pesquisador Kamil Khafizov, por exemplo, a AY.4.2 pode ser cerca de 10% mais infecciosa do que a variante original, que levou a Rússia a bater recordes diários de casos e mortes.

No entanto, o especialista tranquilizou a população: "As vacinas são eficazes o suficiente contra essa versão do vírus, que não é tão diferente a ponto de mudar drasticamente a capacidade de se ligar a anticorpos", afirmou, em entrevista à Reuters.

Rússia registra cepa mais perigosa que Delta e vive pior momento da pandemia (Imagem: Freepik/tawatchai07)

Por outro lado, o imunologista russo Nikolay Kryuchkov aletrtou à agência Reuters que a Delta e suas subvariantes permanecerão dominantes e podem no futuro se adaptar às vacinas, especialmente onde as taxas de vacinação estão abaixo de 50%. “Mas me parece que um salto de evolução não vai acontecer, porque o coronavírus, como qualquer organismo, tem um limite evolutivo, e o salto evolutivo já aconteceu”, refletiu o especialista, na ocasião.

Na última quarta-feira (20), no entanto, o ministro da saúde britânico, Sajid Javid, chegou a afirmar que não há razão para acreditar que a subvariante representa uma ameaça maior do que a Delta. Por enquanto, o ministério da saúde russo não se pronunciou.

A volta do lockdown na Rússia

A partir da próxima semana, a capital da Rússia, Moscou, vai dar início a um lockdown que deve durar dez dias. A ideia é conter a alta no número de casos de covid-19, declaradamente a pior fase de pandemia enfrentada pelo país em questão. Especialistas projetam que, nos próximos dias, a Rússia vai atingir picos históricos nos casos da doença.

O primeiro-ministro Mikhail Mishustin disse em uma reunião de força-tarefa da Covid-19 na última terça-feira  (19) que a carga sobre as instituições médicas está aumentando seriamente no país.

Fonte: Reuters, CNN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.