Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Remédios para diabetes podem ajudar a conter vício em álcool

Por| Editado por Luciana Zaramela | 09 de Janeiro de 2024 às 11h34

Link copiado!

Sérgio Alves Santos/Unsplash
Sérgio Alves Santos/Unsplash

Anteriormente, estudos apontaram que a semaglutida pode ajudar no tratamento do alcoolismo. Uma nova análise publicada na Scientific Reports chega para reforçar essa ideia de que remédios para diabetes tipo 2 (como a própria semaglutida, mas também tirzepatida) podem reduzir o desejo por álcool. 

Os cientistas do Fralin Biomedical Research Institute combinaram dois estudos diferentes para determinar se os medicamentos eram eficazes na redução do consumo de álcool.

Ao examinar discussões relacionadas ao álcool, os pesquisadores descobriram que 962 indivíduos fizeram 1.580 postagens sobre. Destes, 71,7% abordaram efeitos negativos devido ao consumo de álcool.

Continua após a publicidade

Em um segundo estudo, 153 participantes que declararam ter obesidade foram recrutados em várias plataformas de redes sociais. Estes foram divididos em três grupos: o de controle, o grupo dos que tomam semaglutida e o daqueles que usam tirzepatida.

Os participantes que tomaram semaglutida ou tirzepatida relataram beber significativamente menos bebidas, em média, do que aqueles do grupo de controle (que não tomavam nenhum medicamento para diabetes ou perda de peso). Os pesquisadores descobriram que tanto o número médio de bebidas quanto as chances de consumo excessivo de álcool foram significativamente menores.

Redução da intoxicação por álcool

O estudo também revelou que os efeitos estimulantes e sedativos da intoxicação alcoólica são reduzidos para os pacientes que tomaram semaglutida e tirzepatida. Conforme afimam os autores, os participantes relataram beber menos, experimentaram menos efeitos do álcool e diminuíram as chances de consumo excessivo de álcool.

Com essas descobertas em mente, os autores ressaltam a necessidade de mais ensaios clínicos randomizados para explorar o potencial terapêutico desses medicamentos para transtorno por uso de álcool.

Recentemente, vimos que a terapia genética pode ser a mais nova aliada contra o alcoolismo: a liberação da proteína fator neurotrófico mostrou potencial para impedir o retorno ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Fonte: Scientific Reports