Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Podemos ser supercentenários e bater recordes de longevidade? Ou há um limite?

Por| Editado por Luciana Zaramela | 01 de Outubro de 2021 às 13h50

Link copiado!

Sofiiashunkina/Envato Elements
Sofiiashunkina/Envato Elements

Até onde se tem notícia, o ser humano mais longevo que já viveu no planeta Terra foi a francesa Jeanne Calment que completou 122 anos e 164 dias de vida, no ano de 1997. Passados 24 anos, ninguém bateu o recorde francês, mas isso não significa que ele seja o limite da espécie humana. Segundo estudo desenvolvido por pesquisadores da Suécia e do Canadá, os humanos poderiam tecnicamente viver até os 130 anos.

Publicado na revista científica Royal Society Open Science, o estudo chegou a este valor após analisar dados de supercentenários — aquelas pessoas que ultrapassaram os 110 anos — italianos e franceses e alguns cálculos preditivos.

Continua após a publicidade

Entenda os desafios para a espécie humana chegar aos 130 anos

De acordo com os autores, o risco de um supercentenário morrer permanece constante após chegar ao patamar dos 110 anos. Nesse ponto, a probabilidade de morte é de 50% a cada ano. “Depois dos 110 anos, pode-se pensar em viver mais um ano como sendo quase como jogar uma moeda”, ilustra Anthony Davison, principal autor do estudo e professor de estatística da École Polytechnique Fédérale de Lausanne (EPFL), na Suíça.

“Se der cara, você viverá até seu próximo aniversário. Se der coroa, morrerá em algum momento no próximo ano”, completa Davison fazendo uma analogia ao tradicional jogo da moedinha, mostrando o quão aleatória e difícil é essa previsão. Isso já considerando as soluções que a medicina atual podem fornecer para essas pessoas.
 
Dessa forma, a chance de alguém que completou 110 anos viver até 130 é “cerca de 1 em um milhão”. Por mais desafiador que isso pareça, Davison acredita que uma pessoa poderia chegar aos 130 anos pela primeira vez ainda neste século. 

Infelizmente, este parece ser o limite de vida para a espécie humana. Inclusive, o pesquisador sentencia: "Na ausência de grandes avanços médicos e sociais, idades muito acima disso dificilmente serão observadas”.

Para acessar o estudo completo sobre a idade máxima que os ser humanos devem conseguir viver, clique aqui.

Fonte: Futurism