Paxlovid: remédio da Pfizer pode ajudar em casos de covid longa

Paxlovid: remédio da Pfizer pode ajudar em casos de covid longa

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 10 de Maio de 2022 às 17h15
demopicture/envato

Além de ser eficaz contra a Ômicron, o Paxlovid — remédio da Pfizer — pode ajudar em casos de covid longa. Ao menos, é isso o que aponta um estudo prelimintar publicado na plataforma Research Square no último dia 3. Cientistas da UC San Francisco acompanharam o caso de três pacientes na faixa dos 40 anos que tinham sintomas de longo prazo, e a pílula foi eficaz em amenizar a situação de dois deles.

O tratamento com Paxlovid teve início semanas após o início dos sintomas, o que contraria suas próprias indicações. Um dos pacientes apresentou melhorias notáveis, mesmo tendo sido infectado pelo vírus sete semanas antes de tomar o remédio. A segunda paciente tomou Paxlovid por aproximadamente três semanas após o início dos sintomas e relatou menos fadiga após o tratamento, mas ainda sentia falta de ar e dores musculares.

Já o terceiro paciente passou a tomar o remédio da Pfizer um dia após o início dos sintomas (febre, coriza, tosse e dor no peito), que a curto prazo melhoraram, mas retornaram quatro dias depois que o tratamento foi finalizado. Duas semanas depois, o paciente ainda desenvolveu névoa mental, fadiga e mal-estar, sintomas muito presentes na covid longa.

Remédio da Pfizer pode ajudar em casos de covid longa (Imagem: photocreo/Envato)

Os cientistas teorizam, com base nesse estudo, que os efeitos do Paxlovid podem ser necessários em longo prazo, e receitar o remédio muito cedo pode não ser o ideal. Entretanto, muita pesquisa ainda deve seguir até que isso seja comprovado, uma vez que, por enquanto, nem sequer existem dados de segurança que apoiem o uso prolongado do medicamento.

“Alcançaremos respostas apenas com estudos profundos. Há uma necessidade crítica disso, dado o grande número de pessoas que tiveram covid longa", concluem os pesquisadores. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a condição é definida como a persistência dos sintomas por três meses após o início da covid-19, e o quadro dura pelo menos dois meses.

No que diz respeito ao Paxlovid, já houve autorização de uso emergencial nos EUA e no Canadá. A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) recomendou o antiviral para o tratamento de adultos com covid-19 de risco. O tratamento completo também envolve o nirmatrelvir e o ritonavir, que bloqueiam o vírus e têm efeito prolongado.

Fonte: Research Square, Science Blog, Pfizer

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.