Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Para que serve leite de magnésia?

Por| Editado por Luciana Zaramela | 29 de Junho de 2023 às 17h13

Link copiado!

Fidel Forato/Canaltech
Fidel Forato/Canaltech

Com uma embalagem bastante popular nas cores azul e branco, o leite de magnésia é usado há anos como laxante no tratamento de constipação (prisão de ventre) ou como antiácido, diminuindo a acidez no estômago. De aspecto leitoso e vendido sem receita médica, o medicamento é informalmente conhecido como leite de magnésio.

A questão envolvendo os nomes do leite de magnésia é resultado de uma confusão de termos. O magnésio é o elemento presente na tabela periódica e é também um mineral fundamental para o funcionamento do nosso organismo. Enquanto isso, o leite de magnésia é o nome comercial do composto hidróxido de magnésio, também conhecido como Mg(OH)2. Inclusive, o produto não deve ser usado como forma de suplementar a falta de magnésio no corpo.

Continua após a publicidade

Além da versão clássica do leite de magnésia, o medicamento líquido é vendido em alguns sabores mais comerciais e mais novos, como menta e hortelã. Em paralelo, novos usos foram disseminados, mesmo que não estejam oficialmente comprovados cientificamente.

Quando usar leite de magnésia?

No Brasil, é a farmacêutica Apsen Pharma a detentora dos direitos de produção do primeiro leite de magnésia a chegar ao mercado, o Leite de Magnésia Phillips. Em seu site, a empresa afirma que o medicamento pode ser usado "como laxante suave para o tratamento da prisão de ventre ocasional e como antiácido, para alívio de azia e excesso de acidez no estômago". O uso é autorizado para adultos e crianças com mais de 2 anos, nas prescrições adequadas.

Pensando na constipação, o quadro é conhecido por endurecer as fezes, já que elas ficam “presas” no intestino grosso (cólon) por mais tempo que o normal. Através do efeito da osmose, o leite de magnésia “retira” os líquidos do organismo e os direciona para as fezes, o que ajuda a amolecê-las. De forma conjunta, estimula os nervos do intestino a empurrar o bolo fecal para fora, completando o ciclo. Isso pode ocorrer em um intervalo de 30 minutos a até seis horas.

Em outra função, o leite de magnésia ajuda a reduzir o nível de acidez do estômago, controlando o pH da região. Como consequência, ele gera alívio daquela sensação de queimação, de azia ou de má digestão após as refeições.

Mais usos para o leite de magnésia para a saúde

Para além da função de laxante e antiácido, existem usos menos estabelecidos do leite de magnésia. Devido ao seu potencial alcalino, algumas pessoas misturam o produto com água e o transformam em um tipo de desodorante para as axilas, com a ideia de que ele impeça a proliferação de bactérias.

Continua após a publicidade

Ainda há quem faça gargarejos com o medicamento para obter um tipo de tratamento informal contra aftas. Outros usos envolvem possíveis tratamentos para acne e queimaduras solares. Nestes dois últimos casos, um dermatologista deve sempre ser consultado.

Possíveis efeitos adversos do hidróxido de magnésio

Apesar da venda sem receita, o leite de magnésia não deve ser usado como um produto de uso diário, apenas para crises e episódios pontuais. É o que explica Samita Garg, gastroenterologista da Cleveland Clinic, nos Estados Unidos. Se o indivíduo continuar com problemas de constipação, é importante descobrir as verdadeiras causas do problema. Cabe destacar que o uso diário de laxantes é responsável por aumentar o risco de algumas doenças, como a demência, segundo estudos preliminares.

Continua após a publicidade

Além disso, é importante esclarecer que, embora o leite de magnésia quase não tenha efeitos adversos (desde que usado nas doses recomendadas na bula), algumas pessoas podem relatar complicações, como:

  • Diarreia;
  • Dores de estômago;
  • Náusea;
  • Fadiga.

Em caso de reações adversas graves, dúvidas ou problemas frequentes de constipação ou acidez no estômago, o paciente deve procurar ajuda médica. Afinal, estes podem ser sintomas de alguma doença ou ainda de um quadro mais complexo.

Fonte: Cleveland ClinicMedical News e Aspen Pharma