Publicidade

Sua música favorita é analgésico natural e reduz a dor

Por| Editado por Luciana Zaramela | 25 de Outubro de 2023 às 15h47

Link copiado!

 Kelly Sikkema/Unsplash
Kelly Sikkema/Unsplash

Um novo estudo publicado na revista científica Frontiers in Pain Research afirma que ouvir nossa música favorita pode reduzir a intensidade da dor. Anteriormente, outras análises já tinham levantado esse potencial, mas o artigo em questão sugere que as respostas emocionais geradas pela música também são importantes.

Os pesquisadores alegam que a música favorita reduziu a dor em cerca de um ponto numa escala de 0 a 10, o que representa a eficácia semelhante à de um analgésico.

Para chegar a essa descoberta, o grupo colocou 63 participantes para usar um dispositivo que aquece uma área do braço e provoca uma sensação parecida com a de uma xícara de café quente pressionada contra a pele.

Continua após a publicidade

Durante o processo, os participantes ouviram suas faixas favoritas, músicas relaxantes, ruídos aleatórios ou silêncio. À medida que a música ou o silêncio continuavam, os participantes foram solicitados a avaliar a intensidade da dor. Quando o estudo terminou, os participantes avaliaram o prazer da música e o número de “arrepios” que sentiram.

Os resultados revelam que os participantes classificaram a dor como menos intensa em cerca de quatro pontos numa escala de 100 pontos, e menos desagradável em cerca de nove pontos, quando ouviam as suas músicas favoritas, em comparação com o silêncio ou ruído. A música relaxante não produziu esse efeito.

Os pesquisadores perceberam, também, que a música que produzia mais arrepios estava associada à menor intensidade de dor e desconforto, com pontuações mais baixas.

Continua após a publicidade

Música diminui a dor

Em 2022, cientistas apontaram que a música ajuda a reduzir a dor devido a uma conexão entre o córtex auditivo e o centro de processamento da dor. Os envolvidos injetaram uma tinta no córtex auditivo dos camundongos, que revelou uma rota entre essa parte do cérebro e o tálamo, uma estação de retransmissão para o processamento de sinais sensoriais, como dor, gosto e som.

Ao ouvir música, imaginava-se que a comunicação neural do córtex auditivo com o tálamo aumentasse — mas, quando a música toca no volume baixo, a conexão neural parava de transmitir informação. Para confirmar o envolvimento desse caminho no alívio da dor, os pesquisadores bloquearam o circuito neural envolvido. Os roedores passaram a sentir menos dor.

Benefícios da música

Continua após a publicidade

Além de reduzir a intensidade da dor, a música também pode apresentar outros benefícios. Em 2022, um estudo da University of Toronto e da University of Cambridge apontou que a música pode fazer bem a pacientes com a doença de Alzheimer, melhorando a adaptabilidade do cérebro. Além disso, tocar música na infância resulta em melhor condição cognitiva na velhice, segundo um estudo da University of Edinburgh (Reino Unido).

Fonte: Frontiers in Pain ResearchPediatric Research, The Guardian