Ômicron: subvariante BA.2 é ainda mais contagiosa, diz estudo

Ômicron: subvariante BA.2 é ainda mais contagiosa, diz estudo

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 01 de Fevereiro de 2022 às 12h05
IciakPhotos/envato

A subvariante BA.2 é ainda mais contagiosa que a versão "original" da Ômicron. A informação vem de um estudo preliminar publicado no último domingo (30) na plataforma MedRxiv, conduzido por cientistas das instituições dinamarquesas Statens Serum Institut (SSI), Copenhagen University, Statistics Denmark e Technical University of Denmark.

Segundo a pesquisa, feita em mais de 8.500 casas da Dinamarca, além de mais transmissível, a BA.2 também tem um potencial maior para infectar pessoas vacinadas contra a covid-19 do que a subvariante BA.1.

"Se você foi exposto à subvariante BA.2 em sua casa, existe 39% de probabilidade de ser infectado dentro de sete dias. Caso tivesse sido exposto à BA.1, a probabilidade teria sido de 29%", afirma o principal autor do estudo, Frederik Plesner, em entrevista à agência de notícias Reuters. O pesquisador completa que a BA.2 é cerca de 33% mais infecciosa do que BA.1.

Em contrapartida, o estudo não conseguiu identificar nenhuma diferença no risco de hospitalização, ao fazer a comparação entre a BA.1 e a BA.2.

Subvariante BA.2

Subvariante BA.2 é ainda mais contagiosa que a versão original da Ômicron (Imagem: photocreo/Envato)

A subvariante BA.2 foi descoberta por meio de análises genômicas na África do Sul, Austrália e Canadá. Na época, o diretor do Instituto de Genética da University College London (UCL), François Balloux, chegou a afirmar que as linhagens podem se comportar de formas divergentes.

Atualmente, a própria Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu prioridade nas investigações relacionadas à BA.2, que na Dinamarca já representa 65% dos novos casos de covid-19.

Fonte: MedRxiv via Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.