O que é imunodeficiência?

O que é imunodeficiência?

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 12 de Agosto de 2021 às 17h30
engin akyurt / Unsplash

Com a pandemia, um termo que tem se destacado é imunodeficiência. Trata-se da capacidade reduzida do sistema imunológico, ou melhor dizendo, da incapacidade de combater infecções ou doenças.

Isso pode significar que o sistema imunológico do corpo não produz células imunológicas ou anticorpos suficientes para lutar contra invasores estranhos ou que a resposta imunológica do corpo está ausente. A imunodeficiência pode variar de leve a grave. Em casos leves, alguém que é imunodeficiente pode nem perceber.

Existem dois tipos de distúrbios de imunodeficiência, de acordo com a Sociedade Britânica de Imunologia: primária (que são genéticos ou hereditários) e secundária (resultado de fatores ambientais e mais comuns).

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imunodeficiência primária

Os sintomas dos distúrbios primários mais graves tendem a se apresentar na infância, enquanto os sintomas dos distúrbios menos graves podem não aparecer até a idade adulta. Os sinais de um distúrbio de imunodeficiência primária incluem:

  • Infecções recorrentes
  • Bronquite, pneumonia
  • Infecções de pele ou candidíase (uma infecção fúngica causada por um tipo de fungo chamado Candida)
  • Infecções que requerem hospitalização, como sepse

Os tratamentos variam dependendo do tipo de distúrbio de imunodeficiência e da infecção específica. O distúrbio de imunodeficiência primária mais comum envolve a necessidade de imunoglobulina A, um anticorpo encontrado nas membranas mucosas do trato respiratório e digestivo. A deficiência aumenta a vulnerabilidade de uma pessoa a infecções, assim como outros distúrbios.

(Imagem: Arya Pratama/Unsplash)

Imunodeficiência secundária

Os distúrbios da imunodeficiência secundária são mais comuns, e podem ser causados ​​por infecção por HIV, certos medicamentos ou tratamento com quimioterapia. A desnutrição é a causa mais comum de imunodeficiência em todo o mundo, pois a deficiência de calorias e de nutrientes pode alterar a resposta imunológica. Assim como na primária, os sintomas de um transtorno de imunodeficiência secundária incluem infecções frequentes ou ocasionais.

Como tratar a imunodeficiência?

O tratamento pode incluir terapia antimicrobiana para infecções, vacinas ou terapias especializadas para substituir ou complementar as células do sistema imunológico. Muitas pessoas com imunodeficiência primária precisam de tratamento contínuo com antibióticos e antifúngicos para evitar infecções. No caso de algumas imunodeficiências secundárias, o tratamento da causa primária pode resolver efetivamente.

Imunodeficiência e COVID-19

Qualquer pessoa com imunodeficiência pode ter risco aumentado de desenvolver complicações graves se contrair COVID-19, de acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC). Estudos já apontaram que adultos com imunodeficiências primárias e imunodeficiências secundárias sintomáticas experimentaram maior morbidade e mortalidade quando infectadas com COVID-19.

Segundo os especialistas, qualquer pessoa imunocomprometida deve ser vacinada contra a COVID-19. Outro estudo já apontou que alguns grupos de pacientes imunocomprometidos são incapazes de produzir anticorpos suficientes para protegê-las da COVID e, portanto, ainda apresentam um risco aumentado de infecção, mesmo após a vacinação.  Logo, pessoas cujo sistema imunológico está prejudicado devem ser extremamente cautelosas sobre medidas de proteção, como distanciamento social e uso de máscara.

Fonte: LiveScience

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.