Novo sistema de aquecimento neutraliza o coronavírus em menos de um segundo

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 30 de Abril de 2021 às 10h39
hemul75/Envato

O uso do calor para combater o coronavírus vem sendo estudado por pesquisadores desde o início da pandemia, e eles já conseguiram chegar a algumas conclusões interessantes, como o fato de precisar de 20 minutos em altas temperaturas para a neutralização do vírus. O tempo, no entanto, acaba não sendo uma solução muito viável, não só pela dificuldade de concentrar o calor durante todo esse período, como também pelos custos mais altos.

Para tentar facilitar esse processo, Arum Han, professor do departamento de engenharia elétrica e computacional da Universidade do Texas A&M, convocou a sua equipe para desenvolver um tratamento térmico que pode inativar o SARS-CoV-2 por menos de um segundo.  O processo funciona com o aquecimento de uma seção de um tubo de aço inoxidável a uma temperatura alta, resfriando em seguida. No tubo, foi inserida uma solução com o coronavírus.

Imagem: Reprodução/Matthew Linguist/Texas A&M Engineering

Neste experimento, o coronavírus foi completamente neutralizado apenas no tempo de percorrer o tubo, acontecendo de maneira mais rápida que o esperado. Han explica que a solução foi aquecida em aproximadamente 72 °C em menos de um segundo, o que pode reduzir a quantidade de vírus em 100 mil vezes, suficiente para a sua neutralização e para impedir que ele seja transmitido.

Han diz que o impacto da descoberta é grande e que o seu uso deve ser implementado em sistemas já existentes, como de aquecimento, ventilação e ar-condicionado. Além disso, o esquema pode ser usado para neutralizar outros tipus de vírus que se espalham pelo ar, como o da gripe comum. "A influenza é menos perigosa, mas continua se provando mortal ano após ano, então isso pode levar ao desenvolvimento de um sistema purificador de ar não só contra o coronavírus, como para vírus transportados, em geral, de forma aérea", diz Han.

O próximo passo dos pesquisadores é construir um chip de escala microfluídica para neutralizar vírus com o aquecimento em um tempo ainda menor, levando apenas algumas dezenas de milissegundos.

Fonte: Futurity

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.