Novo dispositivo monitora níveis de glicose sem precisar de agulha

Novo dispositivo monitora níveis de glicose sem precisar de agulha

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 20 de Outubro de 2021 às 09h40
Reprodução/Penn State University

A tecnologia e a medicina vêm trabalhando lado a lado no que diz respeito a medir a glicose das pessoas, algo muito importante para prevenir e administrar determinadas doenças, como diabetes. No entanto, normalmente essa medição é feita por um método com agulhas. Em um novo estudo, pesquisadores da Penn State University (EUA) desenvolveram um dispositivo capaz de medir de forma muito menos invasiva. 

Eles construíram o dispositivo primeiro com grafeno induzido por laser, um material que consiste em camadas de carbono. Parecia ser uma estrutura ideal para o dispositivo de detecção, mas o material não era absolutamente sensível à glicose, portanto, os pesquisadores precisaram escolher algum outro material que pudesse complementar e suprir essa necessidade. Eles escolheram uma liga de níquel, capaz de detectar baixas concentrações de glicose pelo suor, bem na superfície da pele.

O suor exibe concentrações extremamente baixas de glicose em comparação com o sangue, mas os pesquisadores indicam forte correlação entre os níveis de glicose no suor e no sangue. Embora a concentração de glicose no suor seja cerca de 100 vezes menor, o dispositivo da equipe é sensível o suficiente para medir com precisão esses níveis e refletir a concentração naquela observada no sangue. 

Em um teste, os pesquisadores colaram um adesivo na pele para prender o dispositivo reutilizável ao braço de uma pessoa cerca de uma a três horas após uma refeição. A pessoa em questão realizou uma breve atividade física, apenas o suficiente para produzir suor, antes de cada medição. Poucos minutos depois de coletar o suor, os pesquisadores descobriram que a concentração de glicose detectada caiu da primeira medição para a próxima. Eles ainda compararam as medições de glicose do dispositivo com as de um monitor comum.

A ideia agora é melhorar o protótipo para aplicações futuras. Os responsáveis pelo estudo também pretendem refinar e expandir essa plataforma para um monitoramento mais confortável de outros biomarcadores que podem ser encontrados no suor. O estudo completo pode ser acessado aqui

Fonte: Laboratory Equipment

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.