Nova fase da covid-19 começa na Europa, aponta OMS

Nova fase da covid-19 começa na Europa, aponta OMS

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 10 de Novembro de 2021 às 13h40
IciakPhotos/Envato Elements

Na pandemia do coronavírus SARS-CoV-2, a Europa enfrenta novos desafios quando se pensava que a covid-19 já estaria controlada. O que acontece no continente é uma "chamada de alerta" para o resto do mundo, defende o diretor-executivo do Programa de Emergências de Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mike Ryan.

Atualmente, poucas restrições impostas para restringir a transmissão da covid-19 foram mantidas no continente europeu. Por exemplo, o isolamento social e o uso de máscaras de proteção foram muito flexibilizados. Por outro lado, ainda é necessário estimular a imunização local contra o coronavírus. Na maioria dos países, não faltam imunizantes para a população.

Europa precisa ampliar vacinação contra a covid e já amplia acesso ao reforço vacinal (Imagem: Reprodução/Rido81/Envato Elements)

Segundo a plataforma Our World in Data, cerca de 56% da população do continente europeu está com o esquema vacinal completo — duas doses ou imunizante de dose única. Além disso, outros 4,6% já iniciaram o processo de imunização contra a covid-19. Em comparação, o Brasil registra 58% dos habitantes com a vacinação completa e outros 18% em processo de imunização.

Desafio da covid-19 para a Europa

"É muito importante refletir sobre o exemplo da Europa, que representou mais da metade dos casos globais na semana passada, mas essa tendência pode mudar", destacou o diretor-executivo Ryan. "Basta olhar para a curva epidemiológica da montanha-russa para saber que, quando se desce a montanha, geralmente se está prestes a subir outra", complementou.

Neste mês, o mundo ultrapassou 5 milhões de mortes registradas oficialmente em decorrência da covid-19 desde o início da pandemia. O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, definiu a marca como um "novo limiar doloroso".

Até agora, a circulação do coronavírus segue ativa e o aumento do número de novas infeções dentro do território europeu pode ser o primeiro alerta de uma tendência global. No continente, uma nova onda da covid-19 já é realidade.

Países europeus travam novas lutas contra a covid-19

Com aumento de casos, Europa enfrenta quarta onda da covid-19 (Imagem: Reprodução/Halfpoint/Envato)

Para o porta-voz do governo francês, Gabriel Attal, a Europa voltou a ser o "epicentro" da circulação do coronavírus. Para conter o avanço da covid-19, a França autorizou que a dose de reforço da vacina seja disponibilizada para todos os franceses.

Além disso, o parlamento francês aprovou, na última sexta-feira (5), a prorrogação da validade do passe sanitário — documento concedido, como um passaporte, para pessoas com teste negativo ou que estejam com o esquema de vacinação completo — até pelo menos o dia 31 de julho. A apresentação do comprovante com QR Code é obrigatório para a entrada em inúmeros estabelecimentos no país, como bares e restaurantes.

Na Europa, a Alemanha é outro país a registrar um novo aumento de novos casos da covid-19. De acordo com o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, todos os cidadãos serão elegíveis para a dose de reforço da vacina contra a covid-19, após seis meses da segunda dose. "A quarta onda da covid-19 no país está agora em pleno vigor", pontuou Spahn.

A situação epidemiológica também chama a atenção no Leste Europeu, onde a cobertura vacinal contra a covid-19 é a mais baixa em todo o continente. Por exemplo, a Romênia e a Bulgária vacinaram, de forma completa, apenas 40% e 27% dos adultos, respectivamente. Além disso, a alta de novas infeções também atingem níveis recordes na Rússia, Ucrânia e Grécia.

Fonte: Agência Brasil e Our World in Data   

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.