Índia libera envio de doses da vacina de Oxford ao Brasil

Por Fidel Forato | 21 de Janeiro de 2021 às 16h01
Anna Shvets/Pexels

Após uma série de negociações para a importação de doses da vacina de Oxford para o Brasil, o governo indiano liberou o envio de doses do imunizante contra o novo coronavírus (SARS-CoV-2) para os brasileiros. Segundo o governo brasileiro, a remessa com duas milhões de doses deve chegar ao país já na sexta-feira (22), durante o final da tarde.

Atualmente, as vacinas desenvolvidas pela farmacêutica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, estão sendo fabricadas no Serum Institute of India, considerado um dos maiores produtores de imunizantes do mundo. No cenário da pandemia da COVID-19, o instituto tem recebido inúmeras solicitações para exportação das doses. No caso brasileiro, o imunizante esperado já teve, inclusive, a autorização de uso emergencial concedida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).  

Vacina de Oxford deve chegar ao Brasil nesta semana, segundo governo indiano (Imagem: Reprodução/ Maksim Goncharenok/ Pexels)

"A carga vinda da Índia será transportada em voo comercial da companhia Emirates ao aeroporto de Guarulhos (SP) e, após os trâmites alfandegários, seguirá em aeronave da Azul para o aeroporto internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro", comentou o Ministério da Saúde, em nota. Com a chegada das doses, a pasta deve direcionar a distribuição do imunizante para todo o território, como já fez com a CoronaVac.

A chegada das doses da vacina de Oxford era esperada para a semana passada pelo governo brasileiro, no entanto, a Índia chegou a suspender, temporariamente, a exportação de doses até o início da sua própria campanha de vacinação contra o coronavírus, o que aconteceu no último final de semana.

Na terça-feira, as autoridades indianas liberaram o envio das doses do imunizante apenas para países vizinhos, como o Butão, Bangladesh e Nepal. Agora, o ministro das Relações Exteriores, Harsh Vardhan Shringla, afirmou que seria iniciada a exportação comercial da vacina para outros países.

“O fornecimento das quantidades comercialmente contratadas também começará a partir de amanhã, começando pelo Brasil e Marrocos, seguidos pela África do Sul e Arábia Saudita”, detalhou o ministro indiano. A expectativa é que cheguem, no total, duas milhões de doses para o Brasil

Nesta quinta-feira (21), um incêndio atingiu o instituto responsável pela fabricação das vacinas contra a COVID-19. No entanto, as chamas não chegaram a danificar o setor que produz as doses da vacina de Oxford, embora tenham deixado cinco mortos. Anteriormente, o primeiro-ministro Narendra Modi chegou a afirmar que capacidades de produção da Índia seria usada por toda a humanidade a fim de combater a pandemia do novo coronavírus, como começa a ser feito agora. 

Fonte: Reuters e Uol   

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.