Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Folhas de café podem ajudar no tratamento contra Parkinson

Por| Editado por Luciana Zaramela | 30 de Outubro de 2023 às 15h31

Link copiado!

Jcomp/Freepik
Jcomp/Freepik

Já imaginou se o café, uma bebida tão comum e popular, pudesse auxiliar no tratamento da doença de Parkinson? É quase isso que os pesquisadores da Universidade Federal de Lavras (UFLA) descobriram, após analisar as folhas da planta e encontrar o composto Levodopa (L-DOPA). Este já é usado contra a doença neurodegenerativa, conhecida por provocar tremores.

Um dos pontos mais interessantes da pesquisa nacional, publicada na revista International Journal of Molecular Sciences, é que o potencial uso das plantas do café está nas folhas, que é uma parte não usada e que é normalmente descartada na produção comercial.

No entanto, ainda é preciso desenvolver outros estudos com modelos animais e testes com humanos para determinar como, exatamente, a descoberta sobre as folhas de café poderá auxiliar no combate ou mesmo na prevenção do Parkinson. Ainda não se sabe se um simples chá, feito com folhas secas, poderia auxiliar nisso.

Continua após a publicidade

Estudo com folhas de café

Na pesquisa, os cientistas investigaram duas espécies de café: Coffea arabica e Coffea canephora. Nas duas, foi possível identificar as enzimas Polifenoloxidase (PPO) e a DOPA descarboxilase (DDC), sendo que ambas estão relacionadas com a produção do composto Levodopa (L-DOPA), usado contra a doença de Parkinson.

"É possível que as folhagens mais jovens apresentem concentrações elevadas de L-DOPA, considerando a potencial maior atividade de PPO encontrada nessas folhas", afirmam os autores da pesquisa, no artigo.

Continua após a publicidade

Além dessas enzimas, outros compostos de importância medicinal foram observados nas folhas de café. Em estudos futuros, será possível entender melhor qual o efeito deles no combate do Parkinson ou ainda de outras demências.

Potenciais benefícios do chá de café

“Esperamos que essa pesquisa abra caminho para a utilização dessas folhas com importantes usos medicinais”, afirma Thales Henrique Cherubino Ribeiro, doutorando do Programa de Pós-Graduação em Fisiologia Vegetal (PPGFV/UFLA) e principal pesquisador do estudo, em nota.

Mesmo que estudos complementares ainda sejam necessários para o uso específico contra o Parkinson, "enfatizamos a recomendação do chá de folhas de café como uma fonte inestimável de nutrientes, desde que medidas fitossanitárias adequadas tenham sido tomadas para garantir que as folhas estejam livres de eventuais agrotóxicos”, sugere o pesquisador Ribeiro.

Continua após a publicidade

Anteriormente, outro estudo concluiu que o consumo do café tradicional, produzido a partir dos grãos, pode ajudar na prevenção da doença de Alzheimer. Isso porque a bebida pode, em tese, "limpar" o acúmulo de proteínas causadoras da doença. No entanto, mais estudos ainda são necessários também.

Fonte: International Journal of Molecular Sciences e UFLA