Filtro do Instagram em RA mostra como a máscara N95 protege contra o coronavírus

Por Natalie Rosa | 02 de Março de 2021 às 18h45
user3802032/Freepik

Com o agravamento da situação da pandemia no Brasil e no mundo, mais uma vez é preciso reforçar a necessidade do uso das máscaras no combate à propagação do coronavírus. Pensando nisso, uma iniciativa do jornal norte-americano The New York Times, em sua conta oficial no Instagram, ajuda na conscientização sobre a eficácia do acessório como uma barreira para as partículas que possam estar contaminadas, mais especificamente sobre a máscara N95, conhecida também como PFF2.

A iniciativa se trata de um filtro para o Instagram, desenvolvido em realidade aumentada, que "mergulha" dentro das fibras do material das máscaras N95/PFF2 e mostra qual é o caminho percorrido pelas gotículas que podem estar carregadas com o SARS-CoV-2. O conteúdo está todo em inglês, mas o Canaltech traduziu e vai mostrar como funciona essa interatividade.

Imagem: Reprodução/Greenvalley Picture 

Como acessar o filtro

Para conferir o filtro em realidade virtual, é preciso acessar a página oficial do The New York Times (@nytimes) no Instagram pelo smartphone, clicar na terceira aba, a de efeitos, e procurar por "How Masks Work". Então, basta clicar no efeito e, na sequência, em "Experimentar" para abrir o filtro.

Imagem: Captura de tela/Canaltech/Instagram

Na sequência, o filtro vai pedir para que você posicione a câmera traseira em uma superfície plana e, em seguida, basta tocar na tela para que a máscara apareça.

Eficácia contra o coronavírus

Logo no começo, o The New York Times faz uma breve apresentação do que é a máscara N95/PFF2. "Máscaras funcionam. Nós vamos te mostrar como", diz o texto. "Máscaras funcionam através de um processo chamado filtragem. Camadas complexas de fibras capturam gotículas respiratórias e aerossóis usando uma combinação de mecanismos físicos", pontua.

Ao clicar na tela novamente, o texto apresenta a máscara que será destrinchada. "Esse é um respirador N95 (ou PFF2). Quando encaixado corretamente, é altamente eficaz na filtragem de partículas microscópicas transportadas pelo ar, conhecidas como aerossóis, que podem carregar o coronavírus".

Imagem: Captura de tela/Canaltech/Instagram

O filtro traz ainda mais curiosidades sobre a máscara, nos apresentando à parte interna, microscópica — assim como as partículas que tentarão passar por ali. "Essas são as fibras sintéticas de uma máscara N95. Se você fosse um aerossol do tamanho de um humano, você teria que viajar através de cerca de 2,7 quilômetros de fibras para alcançar o outro lado", diz o texto. Então, se uma partícula gigante teria que percorrer esse longo caminho, uma partícula minúscula terá muito mais trabalho para chegar ao outro lado do material. Na imagem, a visualização das fibras em realidade aumentada está em zoom 68,750x.

"Uma máscara N95 pode filtrar quase 100% dos aerossóis menores (medindo menos de 0.1 micrômetro)", diz a próxima página do filtro. "Eles fazem zigue-zague pelas correntes de ar devido a um princípio chamado Movimento Browniano. Isso é conhecido como difusão", conta o Times. O texto diz ainda que os aerossóis que são liberados pelos humanos variam de tamanho. "O coronavírus tem cerca de 0,1 micrômetro e costuma viajar dentro de aerossóis ainda maiores. Para referência, um fio de cabelo humano tem cerca de 75 micrômetros".

Imagem: Captura de tela/Canaltech/Instagram

Por fim, o filtro diz ainda que uma boa máscara de tecido também é capaz de reduzir a quantidade de aerossóis com o SARS-CoV-2 que irão tentar chegar até o outro lado do material. "Mesmo que menos eficiente que uma N95, uma máscara feita de múltiplas camadas de algodão denso também pode filtrar bem os aerossóis", diz o The New York Times. "E quando todo mundo usa uma máscara, a eficácia da filtragem combinada aumenta", completa.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.