Está provado: máscara é a melhor arma para conter a disseminação da COVID-19

Por Nathan Vieira | 25 de Novembro de 2020 às 11h23
Tumisu/Pixabay

Desde o início da pandemia de COVID-19, um hábito tem tomado conta do cotidiano de toda a população mundial: a utilização de máscara. Na última sexta-feira (21), os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA divulgaram novas evidências que reforçam a importância e o efeito dessa prática.

Os pesquisadores analisaram as taxas de infecção por coronavírus no Kansas seguindo um mandato de máscara em todo o estado. A exigência da máscara do Kansas entrou em vigor em 3 de julho, quando os casos de COVID-19 estavam aumentando em todo o estado, mas 81 condados optaram por não aceitar o mandato, conforme permitido pela lei estadual. Os outros 24 optaram por exigir o uso de máscaras em locais públicos. Os pesquisadores descobriram que os lugares que optaram por cumprir o mandato viram o número de casos diminuir, enquanto os que optaram por não obedecer viram seus casos continuarem a aumentar.

"Isso se soma ao crescente corpo de evidências que diz que usar máscara ajuda a desacelerar a disseminação da COVID-19", diz o Dr. Aaron Carroll , professor da Escola de Medicina da Universidade de Indiana. Ele adverte que não foi um estudo randomizado e controlado e que poderia haver outros fatores em jogo, como maior distanciamento físico em situações sociais.

Ainda assim, como observa o estudo, as descobertas foram consistentes com o declínio nos casos de coronavírus observados em 15 estados e no Distrito de Columbia, onde as máscaras eram obrigatórias, em comparação com os estados que não exigiam os itens. 

O CDC e o Departamento de Saúde e Meio Ambiente do Kansas analisaram as tendências nos casos antes do mandato entrar em vigor e dois meses depois. Embora as taxas fossem consideravelmente mais altas nos 24 condados que exigiam máscaras, durante o período de estudo eles controlaram o crescimento dos casos e até conseguiram uma redução significativa nos índices de contágio. Os condados que não exigiam máscaras continuaram a ver seu número de casos aumentar.

"A diminuição dos casos entre os condados obrigatórios e o aumento contínuo dos casos nos condados não obrigatórios só aumenta a evidência que sustenta a importância do uso de máscaras", diz o CDC.

Por que usar máscara?

Máscaras realmente ajudam a retardar a disseminação da COVID-19, conclui CDC (Imagem: fernando zhiminaicela/Pixabay)

O que acontece é que o coronavírus é um vírus respiratório, que se espalha de pessoa para pessoa, principalmente por meio de gotículas respiratórias expelidas quando estamos próximos de outras pessoas. Essas gotículas podem ficar suspensas no ar — especialmente em ambientes internos, em locais mal ventilados. Portanto, bloquear a dispersão dessas gotas com uma máscara é uma boa estratégia para reduzir a transmissão.

O CDC atualizou recentemente sua orientação para esclarecer que as máscaras protegem a pessoa que as usam, assim como outras pessoas. "Você usa máscaras porque as evidências sugerem que isso não apenas o protege de adquirir a infecção, mas também protege outras pessoas ao seu redor", disse Jeffrey Shaman, especialista em doenças infecciosas da Universidade de Columbia. "Estamos todos cansados deste vírus. Mas a realidade é que o vírus não se importa. Tudo o que ele busca é a oportunidade de passar de uma pessoa para outra. E uma máscara é uma maneira inofensiva e barata de diminuir [a transmissão]", conclui.

Enquanto não houver vacina...

É claro que, antes que uma vacina eficaz e segura comece a ser aplicada na população, o uso de máscara deve ser feito de maneira consciente. E para saber se você usa máscara corretamente, a gente preparou um guia com mitos e verdades que você pode acessar logo abaixo:

Fonte: CDC via NPR

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.