EUA identificam novo evento adverso raro pós-vacina da Janssen

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 13 de Julho de 2021 às 09h20
ABBPhoto/envato

Nos próximos dias, a FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos) deve divulgar um alerta sobre um novo efeito adverso raro da vacina da Janssen — braço farmacêutico da Johnson & Johnson — contra o coronavírus SARS-CoV-2. Segundo dados preliminares, a imunização contra a COVID-19 foi associada a poucos casos da síndrome de Guillain-Barré, que é uma doença neurológica.

Nos EUA, foram relatados cerca de 100 casos suspeitos da síndrome de Guillain-Barré, após a aplicação de 12,8 milhões de doses da vacina Johnson & Johnson. Esses dados foram compartilhados pelos CDC (Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA), em comunicado, divulgado nesta segunda-feira (12). De acordo com as análises, eles ocorreram cerca de duas semanas após a vacinação e foram relatados, majoritariamente, em homens com 50 anos ou mais.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Vacina da Janssen contra a COVID-19 foi associada a uma doença neurológica rara (Imagem: Reprodução/FabrikaPhoto/Envato Elements)

Agora, o evento adverso grave e raro deve ser discutido na próxima reunião do Comitê Consultivo sobre Práticas de Imunização dos próprios CDC. Anteriormente, a síndrome já foi observada em uma pequena parcela de indivíduos que receberam a vacina Covishield (AstraZeenca/Oxford) na Índia e no Reino Unido.

O que é a síndrome de Guillain-Barré?

De forma geral, 60 a 120 casos da síndrome de Guillain-Barré são diagnosticados por semana nos EUA, segundo os registros dos CDC. Embora a causa dessa doença neurológica não seja totalmente compreendida, ela costuma ocorrer após a infecção por um vírus, como a influenza, ou por uma bactéria. Anualmente, cerca de 3 mil a 6 mil pessoas desenvolvem o quadro no país.
 
A parte boa é que a maioria das pessoas se recupera totalmente, no entanto, alguns pacientes apresentam danos permanentes nos nervos. Nesse cenário, pessoas com mais de 50 anos correm maiores riscos. Além disso, cerca de dois terços das pessoas que desenvolvem a síndrome apresentam sintomas por vários dias ou, até mesmo, semanas.

Com esse quadro, o sistema imunológico dos pacientes passa a atacar os nervos. Os sintomas começam com fraqueza e formigamento nos pés e nas pernas que se espalham para a parte superior do corpo, mas pode ocorrer até mesmo paralisia. Diante disso, os pacientes costumam procurar por fisioterapia.

Vacina da Janssen será suspensa?

Com o possível pronunciamento da agência FDA, espera-se que o uso do imunizante não seja suspenso nos EUA, diante do baixo número de casos relatados. Dessa forma, é provável que na bula da vacina seja incluído o novo efeito adverso raro, mas que o uso continue a ser estimulado, já que é estatisticamente segura. Em outras palavras, os benefícios superam os riscos da fórmula.

Vale lembrar que, em abril deste ano, as autoridades federais dos EUA chegaram a interromper o uso da vacina Johnson & Johnson depois que ela foi associada a outro efeito colateral raro, no caso, a formulação de coágulos sanguíneos graves. Na época, a suspensão só valeu por alguns dias e uma  extensa revisão de segurança da FDA e dos CDC garantiram a segurança da fórmula. No entanto, o risco de trombose foi adicionado à bula do imunizante.

Fonte: The Washington Post  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.