Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Estudo revela 15 fatores de risco para demência precoce

Por| Editado por Luciana Zaramela | 11 de Janeiro de 2024 às 10h43

Link copiado!

 Tima Miroshnichenko/Pexels
Tima Miroshnichenko/Pexels

Em estudo publicado na revista científica JAMA Neurology no último dia 26, pesquisadores da  University of Exeter e da Maastricht University (Reino Unido) revelaram 15 fatores de risco para demência precoce — antes dos 65 anos de idade. Segundo o artigo, quase 40% do Alzheimer e demências relacionadas podem ser potencialmente prevenidas através da abordagem desses fatores modificáveis.

Para o estudo, os pesquisadores acompanharam mais de 350 mil participantes com menos de 65 anos em todo o Reino Unido, com base nos dados disponíveis no UK Biobank. A equipe descobriu fatores que vão desde predisposições genéticas até estilo de vida.

“Ainda há muito a aprender na nossa missão contínua de prevenir, identificar e tratar a demência em todas as suas formas de uma forma mais direcionada. Revelamos pela primeira vez que podemos ser capazes de tomar medidas para reduzir o risco desta condição debilitante, através da abordagem a uma série de fatores", diz o pesquisador David Llewellyn, em comunicado divulgado pela Exeter.

Continua após a publicidade

“A demência de início precoce tem um impacto muito sério, porque as pessoas afetadas geralmente ainda têm emprego, filhos e uma vida ocupada. Muitas vezes, presume-se que a causa seja genética, mas para muitas pessoas não sabemos exatamente qual é a causa. Por isso também queríamos investigar outros fatores de risco", completa o outro investigador responsável, Stevie Hendriks.

Fatores de risco para demência precoce

Conforme revela o estudo, os 15 fatores de risco para demência precoce são os seguintes:

  • Baixo nível de escolaridade
  • Status socioeconômico mais baixo
  • Variação genética (Genes APOE4)
  • Transtorno por uso de álcool
  • Isolamento social
  • Deficiência de vitamina D
  • Altos níveis de proteína C reativa
  • Menor capacidade de agarrar ou segurar objetos usando as mãos
  • Abstinência total de álcool
  • Deficiência auditiva
  • Diabetes
  • Doença cardíaca
  • Depressão
  • Hipotensão ortostática
  • Acidente vascular cerebral

Embora os resultados não provem que a demência seja causada exatamente por esses fatores, a ideia é que a descoberta dessa relação ajude a desenvolver melhores tratamentos e medidas preventivas.

Vale lembrar que muitos desse fatores de risco para demência precoce podem ser evitados, o que oferece mais esperança para aqueles que trabalham para encontrar formas de vencer a doença. Anteriormente, estudos revelaram que os sintomas de Alzheimer precoce podem surgir a partir dos 30.

Fonte: JAMA Neurology, University of Exeter