Caso Fort Detrick: China cobra investigação em "laboratório secreto" dos EUA

Caso Fort Detrick: China cobra investigação em "laboratório secreto" dos EUA

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 22 de Julho de 2021 às 18h43
DragonImages/Envato

Nesta quinta-feira (22), a Embaixada da China no Brasil cobrou, publicamente, os Estados Unidos sobre os supostos segredos que podem estar escondidos no laboratório bioquímico de Fort Detrick, localizado no estado norte-americano de Maryland. O centro de estudos é conhecido oficialmente como Instituto de Pesquisa das Doenças Infecciosas do Exército dos EUA.

De acordo com a embaixada chinesa, "o Fort Detrick permanece envolto em segredos" que merecem ser esclarecidos. Segundo a denúncia, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA solicitou que o laboratório Fort Detrick interrompesse a maior parte de sua pesquisa. Em seguida, "surtos inexplicáveis ​​de doenças respiratórias apareceram no norte [do estado] da Virgínia e a EVALI estourou em Wisconsin".

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Vale lembrar que EVALI é o nome que a lesão pulmonar associada ao uso de vapes recebeu oficialmente. A condição que afeta as vias respiratórias pode ser identificada principalmente por seus sintomas e pelos hábitos dos indivíduos, já que a maioria é usuária dos cigarros eletrônicos.

Além dos dois casos de doenças supostamente misteriosas, as autoridades chinesas afirmam, nas redes sociais, que "comunidades de aposentados perto da base [Fort Detrick] experimentaram surtos de pneumonia inexplicáveis".

Investigação sobre as origens do coronavírus

China denuncia laboratório biológico dos EUA (Imagem: Reprodução/Wirestock/Freepik)

Nesta manhã (22), a China rejeitou publicamente os planos da Organização Mundial da Saúde (OMS) em iniciar uma segunda fase de estudo sobre origens da COVID-19. O anúncio foi feito por uma autoridade de saúde do país asiático. Isso porque o inquérito sobre o coronavírus SARS-CoV-2 deve investigar a possibilidade de um vazamento do vírus de um laboratório.

Nas últimas semanas, um número crescente de cientistas e as autoridades dos Estados Unidos questionam os resultados da primeira pesquisa. O próprio presidente dos EUA, Joe Biden, solicitou que as agências nacionais de inteligência analisassem os motivos que desencadearam a pandemia da COVID-19. No entanto, não há evidências concretas sobre a teoria.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.