É possível ter alergia a exercícios físicos?

É possível ter alergia a exercícios físicos?

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 02 de Dezembro de 2021 às 13h40
Pressmaster/envato

Já apresentamos o que a ciência diz sobre o surgimento das alergias, mas pesquisadores levam essas reações a outro nível ao apontar uma possibilidade particularmente excêntrica: é possível ter "alergia" a exercícios físicos! E não estamos falando de quando você paga a sua academia e simplesmente não vai. É muito maior do que isso. Trata-se de uma condição rara chamada anafilaxia induzida por exercício.

Quando uma pessoa é exposta a algo a que é alérgica, as proteínas interagem com anticorpos nas células do sistema imunológico, e por sua vez, as células imunológicas disparam substâncias químicas como a histamina, que causam espirros, coceira, respiração ofegante, erupções cutâneas e outros sinais e sintomas.

Dito isso, os especialistas apontam que, tecnicamente, nenhuma proteína entra no corpo quando uma pessoa faz exercícios, então não é exatamente possível ser alérgico aos exercícios. No entanto, as atividades físicas podem desencadear a mesma série de sintomas.

Nesse caso, a pessoa comeu determinado alimento antes do treino, e o exercício funciona como um gatilho para ativar as células imunológicas. O mais bizarro é que a pessoa não costuma ser alérgica a esse alimento em outras ocasiões. Tal condição é conhecida como anafilaxia induzida por exercício (AIE), e que pode estar associada à alimentação. A reação "alérgica" ocorre durante ou mesmo após os treinos.

Em 2010, uma teoria sobre o assunto foi publicada na revista Current Allergy and Asthma Reports. A análise descreve que o exercício pode causar a liberação de endorfina (uma das químicas produzidas pelo nosso cérebro), o que leva células do sistema imunológico a liberar substâncias químicas como a histamina.

É possível ter alergia a exercícios físicos? (Imagem: halfpoint/envato)

Como evitar "alergia" a exercícios físicos

De qualquer forma, a anafilaxia induzida por exercício é muito rara, e um estudo publicado na revista científica Expert Review of Clinical Immunology aponta que o melhor jeito de impedir seu surgimento é evitar comer por quatro horas antes e depois do treino. Se acontecer, é preciso prestar atenção aos alimentos que foram consumidos na ocasião, e assim evitá-los em momentos próximos do treino.

De acordo com um artigo publicado nos Arquivos de Asma, Alergia e Imunologia, a anafilaxia induzida por exercício pode ter relação com os seguintes alimentos: trigo, futos do mar, aipo, milho, leite de vaca, banana, farinhas contaminadas com ácaros e amendoim. Portanto, uma maneira de evitar o surgimento do quadro é prestar atenção nesses alimentos, se ingeridos, e substituí-los.

Inclusive, o estudo relata que pode haver interação com medicamentos, o que pode desencadear o quadro de AIE. Aspirina, anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs), antibióticos (cefalosporinas) e os chamados suplementos energizadores anticatabólicos, como beta-hidroximetilbutirato, foram associados a esse tipo de anafilaxia — que representa cerca de 3% dos casos de anafilaxia no mundo.

Os pesquisadores recomendam não fazer exercícios quando houver alta exposição ambiental aos pólens para pacientes atópicos, e recomendam a prática de atividade física em ambiente fechado. Também é aconselhável evitar o exercício em condições climáticas extremas, seja sob calor intenso, frio intenso ou em ambientes com umidade relativa bastante elevada.

Fonte: American Family PhysicianExpert Review of Clinical Immunology, Arquivos de Asma, Alergia e Imunologia 

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.