Como surgem as alergias? Saiba o que a ciência diz!

Como surgem as alergias? Saiba o que a ciência diz!

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 08 de Outubro de 2021 às 16h05
twenty20photos/envato

Você tem alergia a alguma coisa? Basicamente, as alergias são reações imunológicas exageradas a determinadas substâncias. Elas podem causar muitos sintomas físicos que dependem do grau de resposta imunológica e do modo de entrada no corpo. A prevalência global de alergias está aumentando e cerca de 30% a 40% da população mundial está propensa a ter uma.

As alergias são causadas por alérgenos, que são substâncias estranhas que geralmente não são prejudiciais, exceto em pessoas com predisposição genética para desenvolver uma resposta exagerada quando em contato com elas. Na prática, os alérgenos estimulam o sistema imunológico a produzir uma quantidade específica de anticorpos (proteínas que se ligam a substâncias específicas).

Esses anticorpos, por sua vez, desencadeiam a liberação de substâncias químicas, como histaminas. A combinação desses produtos químicos gera sintomas físicos, como:

  • Coceira
  • Inchaço nos olhos
  • Olhos vermelhos
  • Espirros
  • Congestão nasal
  • Manchas vermelhas na pele
  • Sensação de queimação na pele
  • Aperto no peito
  • Dificuldade para respirar
(Imagem: stevanovicigor/envato)

O tipo de alérgeno e o modo de entrada no corpo determinam a manifestação física externa das alergias. Confira alguns dos alérgenos mais comuns:

  • Alimentos (amendoim, ovos e frutos do mar)
  • Medicamentos (penicilinas, medicamentos contendo enxofre)
  • Picadas de insetos como abelhas, formigas e vespas
  • Produtos vegetais, como pólen de gramíneas e árvores
  • Estruturas de animais, como pelos

As alergias também podem causar dor de garganta quando os alérgenos transportados pelo ar estimulam as células imunológicas do nariz. Isso leva a uma resposta imune que resulta na produção de muco espesso e secreções na cavidade nasal.

Uma pessoa pode ser hipersensível a um ou mais desses alérgenos, o que pode resultar em anafilaxia, que se trata de uma reação alérgica com risco de vida devido à resposta excessiva do sistema imunológico a um alérgeno específico. A anafilaxia é caracterizada por pressão arterial baixa, dificuldade em respirar e reações cutâneas graves. Em casos ainda mais severos, pode ocorrer edema e fechar a região da glote, provocando sufocamento. É uma emergência médica e requer tratamento hospitalar imediato.

As alergias podem ser gerenciadas usando vários métodos, mas uma das maneiras mais eficazes é identificar seus alérgenos e evitar se expor a eles. Consultas com médicos especialistas e exames específicos são boas dicas para descobrir prováveis causas, alérgenos e medicamentos corretos para tratamento.

Fonte: Global Allergy & Airways Patient Platform, Medical News Today, Mayo Clinic, Healthline via Live Science

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.