COVID-19: quais os documentos necessários para receber a vacina?

Por Natalie Rosa | 12 de Janeiro de 2021 às 13h20

Depois de um 2020 acompanhando o avanço do coronavírus e os desafios enfrentados pelos cientistas na hora de desenvolver medidas de tratamento e prevenção contra a COVID-19, finalmente está chegando o momento em que a aplicação das vacinas irá se tornar uma realidade.

Nesta segunda-feira (11), Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, revelou que, assim que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovar o uso emergencial das vacinas contra a COVID-19, a aplicação deve começar em até quatro dias. Caso a liberação aconteça dentro do prazo, o início será no dia 20 de janeiro. 

Inicialmente, a vacina será aplicada em grupos prioritários, como profissionais de saúde e que atuam na linha de frente, idosos e pessoas com comorbidades, mas é ideal que todos os grupos estejam preparados para receber a dose antes do dia chegar. Enquanto o dia do seu grupo não chega, há tempo suficiente de se programar e saber como será o processo e quais são os documentos que você precisa ter em mãos para ser vacinado.

Imagem: Divulgação/Governo de São Paulo

O que levar

De acordo com o plano de vacinação do Ministério da Saúde, na prática, nenhum brasileiro não será vacinado se não tiver documentos em mãos. Porém, é essencial que o indivíduo apresente o Cartão Nacional de Saúde (CNC), o cartão do SUS, ou o número do CPF para que haja o controle de aplicações.

Para emitir um cartão do SUS, que faz o controle do histórico do paciente em toda a rede pública do país, é preciso buscar uma unidade do serviço ou uma Secretaria de Saúde Municipal, tendo em mãos o RG, CPF, certidão de nascimento ou casamento, o número do PIS/PASEP caso a pessoa o tenha, e, em alguns casos, pode ser exigido um comprovante de residência.

Se, por acaso, você possui um cartão do SUS mas o perdeu, é possível emitir uma segunda via em qualquer unidade de saúde ou através da internet. Para fazer o pedido online, basta acessar o portal do SUS ou o aplicativo Conecte SUS, criar uma conta ou fazer o login e conferir o número do cartão. O Ministério da Saúde já alertou para um problema que pode ocorrer: o nome do paciente não estar na base de dados ou não conseguir um cartão do SUS. Isso, no entanto, não vai evitar que ele seja vacinado.

Imagem: Divulgação/Ministério da Saúde

Controle das doses

No momento da primeira aplicação, os brasileiros vacinados serão inseridos no Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), que irá controlar as informações referentes às doses tomadas, assim como o local da vacinação, nome e fabricante da vacina, lote e data de validade. Sendo assim, será possível fazer o controle adequado para que cada pessoa receba as duas doses da vacina, fazendo com que ela seja mais eficaz no combate à doença.

 

Fonte: CNN Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.