COVID-19: quais os riscos de se contaminar em cada atividade do dia a dia?

Por Natalie Rosa | 10 de Setembro de 2020 às 14h15
Reprodução: Free-Photos/Pixabay

A transmissão da COVID-19 ainda traz muitas dúvidas à população, fazendo com que algumas pessoas ainda acreditem não ser tão perigoso por ser algo "invisível" e outras fiquem muito receosas na hora de fazer uma atividade. Para esclarecer esses questionamentos, a Associação Médica do Texas (TMA) criou uma tabela para mostrar o quão contagiosas podem ser atividades do dia a dia.

A tabela foi criada por um grupo de 14 médicos que pertencem do Comitê de Doenças Infecciosas da TMA, entre especialistas em saúde pública, infectologia e epidemiologia que estão trabalhando em uma força-tarefa contra o coronavírus. Em entrevista à BBC News do Brasil, o especialista e membro da TMA, John Carlo, explicou que a tabela foi criada para o Texas, mas pode ser usada em outros países também.

"Temos que considerar as diferenças nas realidades de cada lugar, é claro, mas também há muitas coisas que são semelhantes", explica o profissional. A tabela considerou atividades comuns que vão desde abrir uma correspondência até ir a um bar, classificando cada uma delas como risco alto, moderado alto, moderado, baixo moderado e baixo, numerando de 1 a 9. 

Reprodução: kaleido-dp/Pixabay

Metodologia

Para criar o ranking, os cientistas avaliaram as atividades com os seguintes critérios: área interna ou externa, proximidade de outras pessoas, tempo de exposição ao coronavírus, probabilidades de seguir com as normas de prevenção, como uso da máscara, e a possibilidade de estar infectado durante a atividade. Então, houve a enumeração do menos grave para o mais perigoso.

Os pesquisadores consideraram ainda que as pessoas estariam usando máscaras dentro dessas situações, mantendo uma distância de ao menos dois metros de desconhecidos, além de fazer a higienização completa. Veja a lista:

Risco baixo

1)

  • Abrir correspondência

2)

  • Comprar comida para levar
  • Abastecer carro
  • Jogar tênis
  • Acampar

Risco baixo moderado

3)

  • Ir ao supermercado
  • Caminhar, correr ou andar de bicicleta com outras pessoas

4)

  • Ficar hospedado em hotel por duas noites
  • Esperar na recepção do consultório médico
  • Ir à biblioteca ou ao museu
  • Comer em restaurante (área externa)
  • Caminhar pelo centro da cidade
  • Passar uma hora em parque infantil
Reprodução: Steve Buissinne/Pixabay

Risco moderado

5) 

  • Jantar na casa de outra pessoa
  • Ir a churrasco
  • Ir à praia ou ao shopping

6)

  • Mandar as crianças à escola, ao acampamento ou à creche
  • Trabalhar por uma semana em escritório
  • Nadar em piscina pública
  • Visitar idosos em casa

Risco moderado alto

7)

  • Ir ao salão de beleza ou barbearia
  • Comer em restaurante (área interna)
  • Ir a casamento ou funeral
  • Viajar de avião
  • Jogar basquete
  • Abraçar ou apertar a mão de alguém

Risco alto

8)

  • Comer em bufê
  • Ir à academia de ginástica
  • Ir ao parque de diversões ou ao cinema

9)

  • Ir a show grande ou evento esportivo em estádio
  • Ir a culto religioso com 500 ou mais fiéis
  • Ir ao bar

Carlo diz que, no entanto, esse seria o resultado de um esforço coletivo. "É o ponto de vista de um grupo de médicos que tinham que responder como essas atividades se comparam uma à outra em termos de risco. Mas só a própria pessoa pode saber as condições em que vai praticar cada atividade e determinar o risco total", conta. A realidade também pode variar de região para região, além do comportamento de segurança da população.

Fonte: BBC News Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.