COVID-19 | Interior de São Paulo ultrapassa a capital em número de casos

Por Nathan Vieira | 23 de Julho de 2020 às 14h50
Reprodução: Pixabay

Na última segunda-feira (20), o interior chegou a ultrapassar a Grande São Paulo no total de óbitos provocados pelo vírus, com exceção da capital, evidenciando a interiorização da epidemia no estado paulista. Agora, nesta quinta-feira (23), pela primeira vez o interior de São Paulo ultrapassou a capital no número total de casos confirmados do novo coronavírus.

De acordo com informações do secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, o interior soma 170.515 casos confirmados da doença [40,35% do total de casos] e a capital, 167.801 [39,71%]. O restante de casos é registrado na Grande São Paulo e na Baixada Santista. Até o momento, o estado contabiliza 439.446 casos confirmados do novo coronavírus, com 20.532 mortes.

Marco Vinholi apontou que na 20ª semana epidemiológica, o interior representava 14,07% dos óbitos que ocorreram naquele período. Enquanto isso, na 25ª semana epidemiológica, esse número foi para 33,87%.  O secretário de Desenvolvimento Regional ainda acrescentou que na semana passada, que foi a 29ª Semana Epidemiológica, teve 45,91%, comprovando a interiorização da pandemia.

Coronavírus em São Paulo

Coordenador do Centro de Contingência COVID-19 afirma que Grande São Paulo está perto de uma estabilização (Imagem: Pixabay)

Na segunda quinzena de junho, o coordenador do Centro de Contingência COVID-19, Carlos Carvalho, declarou que a Grande São Paulo está perto de uma estabilização: "Se já atingimos o máximo na Grande São Paulo, aparentemente, se olharmos os números do começo e metade de maio para cá, os indicativos são de que estamos chegando na estabilização".

Enquanto isso, ele completou: "No interior, algumas cidades estão em fase ascendente. A média do estado, como grande parte da população está na região metropolitana, provavelmente estamos chegando na estabilização. Isso possibilitou que medidas se iniciassem no sentido de um certo retorno à normalidade. Se iniciaram as discussões para sair de um isolamento total para um futuro, espero, que o mais normal possível".

Na época em questão, um estudo do site Medida SP fez uma relação entre as mortes por COVID-19 com a idade e a renda mensal média por domicílio nas regiões da Grande São Paulo, com dados de 3.959 pessoas que morreram na Grande São Paulo até 18 de maio, e concluiu que quase 66% das vítimas viviam em bairros com salários médios abaixo de R$ 3 mil e 21% em locais com renda de até R$ 6.500. Nas regiões com renda superior a R$ 19 mil, foi registrado pouco mais de 1% das mortes.

Fonte: Agência Brasil

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.