COVID-19 | Especialistas fazem alerta para coágulo sanguíneo nas pernas

COVID-19 | Especialistas fazem alerta para coágulo sanguíneo nas pernas

Por Nathan Vieira | 22 de Julho de 2020 às 11h39
Arek Socha/Pixabay

Na última semana, estudos relacionados à autópsia de pacientes com COVID-19 mostraram que coágulos sanguíneos resultantes da doença estavam presentes não apenas nos pulmões, mas também em quase todos os órgãos das vítimas. Já nesta terça-feira (21), um estudo publicado na Radiology faz alerta para a associação entre a doença e coágulos sanguíneos nas artérias das pernas.

Os pesquisadores disseram que pacientes com COVID-19 com sintomas de suprimento inadequado de sangue tendem a ter coágulos maiores e uma taxa significativamente mais alta de amputação (e morte) do que pessoas não infectadas com a mesma condição. A associação da COVID-19 com coágulos sanguíneos nas artérias pulmonares está bem estabelecida. Pouco se sabe sobre a relação entre o vírus e a trombose arterial dos membros inferiores, uma condição caracterizada por coágulos sanguíneos nas artérias que impedem o fluxo de sangue oxigenado para os membros inferiores.

Em março e abril, os especialistas identificaram 16 pacientes positivos para COVID-19, com idade média de 70 anos, submetidos a sintomas de isquemia (suspensão da irrigação sanguínea, numa parte do organismo, ocasionada por obstrução arterial ou por vasoconstrição) da perna. Esses pacientes foram comparados com 32 pacientes negativos para COVID-19, com média de idade de 71 anos, com sintomas semelhantes em anos anteriores.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Especialistas fazem alerta para coágulo sanguíneo relacionado com COVID-19 (Imagem: Pixabay)

Todos os pacientes com infecção por COVID-19 submetidos aos exames apresentaram pelo menos um coágulo na perna. Os coágulos nos pacientes com COVID-19 eram significativamente maiores e afetavam as artérias da perna com maior frequência do que as dos controles. Morte ou amputação de membro foi mais comum nos pacientes com COVID-19.

"Descobrimos que a trombose arterial associada à infecção por COVID-19 foi caracterizada por como taxas surpreendentemente altas de amputação e morte, que em nosso estudo foram de 25% e 38%, respectivamente", disse a principal autora do estudo, Inessa A. Goldman, radiologista do Montefiore e professora assistente do Albert Einstein College of Medicine, em Nova York.

Os pacientes COVID-19 que apresentaram sintomas de isquemia da perna foram mais propensos a evitar amputação ou morte do que os pacientes com sintomas de isquemia e sintomas sistêmicos, incluindo tosse, dificuldade ou falha respiratória, hipóxia, febre ou estado mental alterado. "Nenhum dos cinco pacientes que apresentaram queixas relacionadas apenas aos sintomas das pernas, como dor ou descoloração, sem sintomas sistêmicos, sofreu amputação ou morreu", disse Goldman.

Goldman observou que a conscientização da trombose arterial dos membros inferiores como uma possível complicação da infecção por COVID-19 é importante para todos os profissionais que cuidam desses pacientes, porque o diagnóstico precoce geralmente é crucial para a preservação dos membros na isquemia dos membros inferiores. A associação do COVID-19 à trombose arterial dos membros inferiores provavelmente está relacionada a uma combinação de fatores, incluindo uma tendência aumentada do sangue para coagular, danos ao revestimento das artérias e reações imunológicas associadas ao SARS-CoV -2 vírus e infecção por COVID-19.

Coágulos em vários órgãos de vítimas da COVID-19

Patologistas encontram coágulos sanguíneos em órgãos de pacientes com COVID-19 (Imagem: Pixabay)

De acordo com a chefe do departamento de patologia do NYU Langone Medical Center, Amy Rapkiewicz, quando o vírus foi descoberto, os médicos acreditavam que a COVID-19 era uma doença respiratória como a pneumonia, mas descobriram que o vírus poderia causar coágulos sanguíneos em diversos locais do corpo que podem levar a problemas mais graves, como acidente vascular cerebral (AVC), insuficiência renal, inflamação do coração e complicações no sistema imunológico.

Os médicos relataram anteriormente que coágulos excessivos podem ocorrer em grandes vasos sanguíneos, bem como nos pulmões, coração, cérebro e pele. Mas o novo estudo sugere que coágulos também podem afetar vasos menores.

Fonte: Science Daily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.