Coronavírus: mulher sem sintomas transmite o vírus na Alemanha

Por Fidel Forato | 03 de Fevereiro de 2020 às 19h00
Stock News Press

Aos poucos pesquisadores começam a entender melhor o novo coronavírus chinês, provisoriamente chamado de 2019-nCoV. No primeiro momento do vírus, autoridades chinesas descobriram que o vírus poderia ser transmitido entre humanos, agora, é relatado o primeiro caso da transmissão via pacientes, sem sintomas aparentes (o período de incubação). No que parece ser mais uma reviravolta da infecção, descoberta a a partir do caso de uma mulher chinesa assintomática.

De acordo com cientistas da Universidade de Munique (LMU), na Alemanha, se confirmada com mais casos essa nova forma de transmissão, será mais difícil conter o vírus de maneira global, conforme afirmaram para o New England Journal of Medicine.

Atualmente, já foram notificadas 362 mortes e mais de 17.400 casos do novo coronavírus chinês, segundo os dados da Universidade Johns Hopkins. Além disso, relatos da infeção já foram divulgados em mais de 25 países, incluindo Espanha, Itália, Reino Unido e Rússia.

Cientistas alemães relatam transmisssão do novo coronavírus por pacientes sem sintomas (Foto: Eugene Hoshiko/AP Photo)

Entenda o caso

Alguns vírus, como o da SARS (Síndrome respiratória aguda grave — outro tipo coronavírus que surgiu também na China), só podem ser transmitidos quando uma pessoa infectada manifesta sintomas. No entanto, há vírus, como o da gripe, que podem se espalhar um ou dois dias antes do início dos sintomas, ou seja, há chances da pessoa transmitir sem saber.

Em uma simples ida ao mercado ou ao trabalho, podem contaminar outras pessoas, por exemplo. Nesses casos, tentar eliminar esse tipo de vírus é uma tarefa muito mais difícil. Essa possibilidade surge agora, relacionada ao novo coronavírus chinês, a partir do caso de uma moradora de Xangai que viajou, a negócios, para a Alemanha entre os dias 19 a 22 de janeiro.

Nesse período, não apresentava nenhum sintoma, como tosse ou febre. A paciente só demonstrou os primeiros sinais da doença em seu voo de volta para a China e, somente no dia 26 de janeiro, foi confirmada a infecção.

Saiba mais sobre o novo coronavírus:

Antes da confirmação, no dia 24 de janeiro, um empresário alemão que teve reuniões com a mulher nos dias 20 e 21 começou a apresentar sintomas da nova doença, como dor de garganta, calafrios e dores musculares. No dia seguinte, o alemão estava com febre e tosse, mais sintomas do vírus. Sem cogitar a possibilidade de estar infectado, voltou ao trabalho normalmente, no dia 27 de janeiro, quando tinha se recuperado de uma suposta "gripe".

Após a confirmação da infecção da executiva chinesa, equipes de saúde entraram em contato com pessoas que haviam tido contato com a mulher — incluindo o empresário alemão, que já havia se recuperado e parecia saudável. Os testes laboratorias do homem, no entanto, mostraram que ele estava infectado.

No dia 28 de janeiro, outros três colegas de trabalho do empresário deram positivo, em exames, para o novo vírus. A questão é que apenas um desses pacientes teve contato direto com a executiva de Xangai. Enquanto isso, os outros dois tiveram contato apenas com o executivo alemão. Até agora, todos os quatro pacientes, na Alemanha, foram isolados em hospitais e não demonstram sinais graves da doença.

Fonte: STATnews via NEJM

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.