Coquetel de anticorpos da Regeneron pode ser usado como prevenção da COVID-19

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 12 de Abril de 2021 às 16h10
ktsimage/Envato

A farmacêutica Regeneron parece ter uma resposta para a busca pela prevenção da COVID-19. De acordo com um novo estudo, a ingestão de um coquetel de anticorpos monoclonais pode ser eficaz para proteger uma pessoa contra o coronavírus, prevenindo sintomas mais graves da doença ou ainda evitando que o indivíduo em questão seja contaminado.

Caso o medicamento seja autorizado para uso preventivo, ele poderá ser usado como mais uma proteção contra a COVID-19, principalmente por aquelas pessoas que ainda não conseguiram se vacinar. Segundo os pesquisadores, o coquetel pode não só trazer uma forma a mais de proteção, como ser a solução de casos em que os pacientes não respondem bem à vacinação, além de trazer mais esperanças em um cenário que conta com o surgimento de novas variantes, que podem ser mais perigosas e contagiosas.

Imagem: Reprodução/Freepik

O próximo passo da Regeneron é pedir à FDA (Food and Drug Administration), órgão que funciona nos Estados Unidos como a Anvisa aqui no Brasil, a autorização para o uso de emergência como forma preventiva. O medicamento já havia sido autorizado em novembro, mas para tratar casos leves a moderados, inclusive sendo usado pelo ex-presidente do país, Donald Trump.

A farmacêutica conduziu os estudos com a colaboração de 1.500 pessoas que viviam na mesma residência de pessoas que foram diagnosticadas com a COVID-19. Os que receberam uma injeção com o Regeneron apresentaram 81% menos chances de adoecer do que aqueles que receberam placebo. O coquetel de anticorpos produzido pela Regeneron combina duas drogas enganam o sistema imunológico "imitando" a defesa que é gerada naturalmente contra o SARS-CoV-2 quando há uma infecção.

E quanto custa?

De acordo com uma reportagem da CBS News publicada em outubro passado, ainda da época em que Donald Trump fez a terapia com o coquetel da Regeneron, o tratamento pode custar entre US$ 1.500 a US$ 6.500, dependendo de cada caso. Para colocar em uma perspectiva, e ainda assim sem considerar os impostos, na nossa moeda a terapia com anticorpos monoclonais custaria entre R$ 8.600 e R$ 37.200.

Fonte: O Globo, CNBC, CBS

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.