Publicidade

Cidade do Rio de Janeiro estuda decretar o fim do uso de máscaras

Por| Editado por Luciana Zaramela | 02 de Março de 2022 às 18h30

Link copiado!

Halfpoint/Envato Elements
Halfpoint/Envato Elements

Com o aumento da cobertura vacinal, o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras contra a covid-19 é discutido na cidade do Rio de Janeiro, segundo o secretário Municipal de Saúde, Daniel Soranz. Na próxima segunda-feira (7), o Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 deve avaliar se o equipamento de proteção contra o coronavírus SARS-CoV-2 ainda deve ser recomendado pelo menos em ambientes fechados.

Vale explicar que, no Rio, o uso de máscara em ambientes abertos não é mais obrigatório desde final de outubro do ano passado. Em novembro, as autoridades de saúde decretaram o fim do limite de ocupação em ambientes fechados.

Continua após a publicidade

Desde então, a capital enfrentou alta de casos em decorrência da variante Ômicron (B.1.1.529 ou BA.1) do coronavírus no começo de 2022. Além disso, um surto atípico de gripe foi registrado no final do ano na cidade. Em ambos os casos, a busca por atendimento médico e testes aumentou temporariamente.

Reforço da vacina e fim das máscaras

Se aprovado o fim do uso de máscaras em ambientes fechados, os moradores e turistas da cidade não precisarão usar o equipamento de proteção em escolas, universidades, escritórios, transporte público, shoppings e academias de ginástica. Detalhes da política deverão ser divulgados no decreto, quando publicado.

Em outra frente, o secretário Soranz destaca que a prefeitura quer estimular a adesão da população no reforço da vacina contra covid-19. "A expectativa é que, chegando entre 70%, 80% da população adulta com dose de reforço, a gente possa retirar a cobrança do passaporte vacinal na cidade do Rio de Janeiro", explicou para a Agência Brasil

Continua após a publicidade

Segundo dados da prefeitura do Rio de Janeiro, a cobertura vacinal contra a covid-19 na população adulta é de 99,1% com as duas doses do imunizante. Entre aqueles com mais de 18 anos, 53% já receberam a dose de reforço.

"Com uma alta cobertura vacinal, a gente está vendo outros países também retirando essas medidas restritivas, aqui no Rio de Janeiro não seria diferente”, comenta o secretário.

Dados da covid pós-carnaval

No entanto, as autoridades de saúde do Rio ainda devem analisar os possíveis efeitos das festas de carnaval que ocorreram nos últimos dias. Apesar de algumas restrições continuarem, posts nas redes sociais apontam para aglomerações, inclusive em blocos de rua e eventos fechados. Diante desse cenário, é importante acompanhar se casos da covid-19 voltarão a subir, como ocorreu após as festas de final de ano.

Continua após a publicidade

Segundo o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), na terça-feira (1), a média móvel de óbitos estava em 601 e a de novos casos era estimada em 65,6 mil. No entanto, os dados não consideram os indicadores de quatro estados brasileiros que não alimentaram a plataforma por causa da festa prolongada.

Fonte: Agência Brasil e Conass