Brasil é o segundo país com mais mortes de crianças de 0 a 9 anos pela COVID-19

Brasil é o segundo país com mais mortes de crianças de 0 a 9 anos pela COVID-19

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 14 de Junho de 2021 às 11h10
peoplecreations/Freepik

Além de idosos e adultos, crianças também estão sendo vítimas da COVID-19 no Brasil e, segundo um levantamento recente, 948 crianças de 0 a 9 anos já morreram no país devido à doença. Os dados foram obtidos pelo Sistema de Informação de Vigilância da Gripe (Sivep-Gripe).

De acordo com a pesquisa, o Brasil fica atrás apenas do Peru no ranking de vítimas do coronavírus na faixa etária. Por aqui, 32 crianças a cada um milhão morreram pela doença, enquanto no Peru foram 41 vítimas a cada um bilhão. A fim de comparação, a Argentina e a Colômbia tiveram, respectivamente, 12 e 13 mortes a cada um milhão de crianças.

Imagem: Reprodução/lifeforstock/Freepik

A análise considerou os registros de 11 países com mais de 20 milhões de habitantes e que registraram, ao menos, mil mortes pela COVID-19 a cada um milhão de habitantes. O estudo dos dados do Sivep foi realizado pelo Estadão em parceria com Leonardo Bastos, estatístico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Na Europa, os números obtidos foram menores. Na França e Reino Unido, por exemplo, foram registradas somente quatro mortes de crianças com as idades, sendo então uma taxa de 0,5 morte a cada milhão de crianças de 0 a 9 anos de idade. Já na Espanha, o número foi um pouco maior, registrando três mortes pelo coronavírus a cada um milhão de crianças.

A maioria das mortes aconteceram em maio do ano passado, com 131 mortes, e em abril deste ano, com 99, e segundo os dados as principais mortes (32,7%) foram de bebês de até dois anos. Cerca de 57% das vítimas no Brasil eram negras, 21,5% brancas, 0,9% asiáticas e 16% de raça desconhecida. Além disso, 4,4% das crianças eram indígenas, totalizando 42 mortes.

Fonte: Estadão, Istoé

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.