O que é síndrome de Borderline?

O que é síndrome de Borderline?

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 03 de Agosto de 2021 às 15h45
Sydney Sims/Unsplash

Você já ouviu falar da síndrome ou transtorno de personalidade Borderline? Ela é caracterizada por dificuldades em regular a emoção. Os pacientes sentem emoções intensas por longos períodos de tempo, com dificuldades para retornar a estabilidade emocional após determinados eventos.

As pessoas com Borderline experimentam grandes variações de humor e podem sentir uma grande sensação de instabilidade e insegurança. Basta um evento adverso, como um desentendimento com alguém querido, para que o humor se altere "da água para o vinho" e o paciente perca o controle de suas emoções. Após a crise, logo bate um sentimento de culpa e medo de abandono, o que pode culminar em novas reações exaltadas e até mesmo em auto-punição.

Aliás, o transtorno de personalidade recebeu o nome de Borderline pois o termo em inglês significa algo como "no limite". Tanto é que a condição também é chamada de transtorno de personalidade limítrofe.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Borderline e a montanha-russa de sentimentos (Imagem: Ryan Snaadt/Unsplash)

Borderline: sintomas

Alguns sinais e sintomas principais podem incluir relações pessoais instáveis, autoimagem distorcida e instável, comportamentos impulsivos que podem ter resultados perigosos, como gastos excessivos, sexo inseguro, direção imprudente ou uso indevido ou uso excessivo de substâncias, automutilação, ameaças ou tentativas de suicídio.

Outros sintomas que acompanham o transtorno são períodos de depressão intensa, irritabilidade ou ansiedade, além de sentimentos crônicos de tédio ou vazio, raiva incontrolável e sentimentos dissociativos, e até episódios psicóticos.

As causas da síndrome de Borderline não são totalmente compreendidas, mas os cientistas concordam que é o resultado de uma combinação de fatores, incluindo genética (uma vez que pesquisas já sugeriram que as pessoas que têm um parente próximo com borderline podem ter maior risco de desenvolver o transtorno), eventos traumáticos (como abuso físico ou sexual durante a infância, negligência e separação dos pais) ou função cerebral (as partes do cérebro que controlam as emoções e a tomada de decisões sem se comunicar perfeitamente umas com as outras).

Borderline: diagnóstico e tratamento

(Imagem: Anh Nguyen/Unsplash)

Por enquanto, não há teste médico definitivo para diagnosticar a síndrome de Borderline e o diagnóstico não é baseado em um sinal ou sintoma específico, e sim feito por um profissional após acompanhamento do paciente.

Já o tratamento pode incluir psicoterapia ou medicamentos, mas os especialistas ressaltam a importância de apoio dos familiares, dos amigos e do cônjuge. A psicoterapia é a primeira escolha para a síndrome. Aprender maneiras de lidar com a desregulação emocional em um ambiente terapêutico é muitas vezes a chave para a melhoria a longo prazo.

Os medicamentos podem ser fundamentais para um plano de tratamento, mas não existe um medicamento feito especificamente para tratar os principais sintomas de Borderline. Em vez disso, pode-se usar estabilizadores de humor e antidepressivos para ajudar com alterações de humor e disforia. E, para alguns, a medicação antipsicótica em baixas doses pode ajudar a controlar sintomas como o pensamento desorganizado. Vale perceber que a hospitalização de curto prazo pode ser necessária durante períodos de estresse extremo.

Fonte: National Institute of Mental Health

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.