Retrospectiva: as 12 maiores inovações em saúde e ciência de 2020

Retrospectiva: as 12 maiores inovações em saúde e ciência de 2020

Por Natalie Rosa | 04 de Janeiro de 2021 às 17h00
Arek Socha/Pixabay

Todos os anos, grandes empresas de tecnologia desenvolvem soluções para ajudar o usuário a ter mais praticidade no dia a dia, além de poder escolher ter uma vida mais saudável e também combater as mudanças climáticas, lançando produtos e serviços que um dia podem se tornar indispensáveis para que o mundo fique melhor.

Mas 2020 foi um ano complicado para todo o mundo. Com a chegada da pandemia da COVID-19, as pessoas precisaram mudar seus hábitos e tentar sobreviver a um vírus novo que tirou a vida de centenas de milhares de pessoas e que vem trazendo consequências desastrosas para a humanidade. E para ajudar a combater o coronavírus, muitas companhias usaram toda a sua experiência no mercado para inovar e criar soluções para ajudar na nossa saúde e na qualidade de vida.

Pensando nisso, o Canaltech preparou uma lista com 12 inovações que marcaram 2020, a maioria dedicada à área da saúde. Entre as soluções estão máscaras mais seguras para conter a entrada do vírus, próteses conectadas ao cérebro, alimento modificado, entre muitas outras. Confira a lista completa:

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

1. COVIDWISE 

Imagem: Divulgação/COVIDWISE

Com a chegada da pandemia da COVID-19, as empresas de tecnologia começaram a se desdobrar para apresentar ao mercado suas opções para ajudar no controle da propagação do vírus. Foi quando a Universidade da Virginia, nos Estados Unidos, desenvolveu o primeiro aplicativo de notificações de exposição ao coronavírus.

Com o aplicativo, o usuário recebe notificações quando esteve em contato com alguma pessoa que teve o resultado positivo para a doença. Assim, o indivíduo pode acabar descobrindo uma suposta contaminação e tomar medidas para prevenir a propagação, como o isolamento social e monitoramento dos sintomas. A tecnologia funciona através do Bluetooth do aparelho.

Você deve estar se questionando quanto à privacidade, certo? A Universidade da Virginia garante a segurança do usuário através da geração de tokens anônimos nos dispositivos, que são alterados a cada 10 a 20 minutos, assegurando a privacidade da localização do usuário. Com o seu token ativo, outros usuários que fizerem o mesmo procedimento no aplicativo podem confirmar quando receberam o diagnóstico positivo, emitindo então um alerta para outros tokens anônimos que cruzaram esse usuário contaminado nos últimos 14 dias.

Quando acontece o diagnóstico positivo e o encontro que pode ter resultado na propagação, o aplicativo irá não só avisar, como também fornecer instruções das autoridades públicas da região para garantir que todos fiquem seguros.

Depois da iniciativa da Universidade da Virginia, outros países começaram a seguir o exemplo, inclusive o Brasil. Você pode baixar o aplicativo Coronavírus SUS, tanto para Android quanto para iOS, e fazer esse acompanhamento.

2. BinaxNOW COVID-19 

Imagem: Divulgação/Abbott

Outra grande inovação deste ano, que foi dominado pela temática da pandemia, foi o BinaxNOW COVID-19, um teste que diagnostica a doença em apenas 15 minutos e custa cerca de US$ 5. Aprovado pela FDA (Food and Drug Administration) em agosto, o teste funciona de forma bem simples: o funcionário de uma unidade de saúde abre um cartão e adiciona algumas gotas de um líquido reagente, que é feito com produtos químicos que reagem à proteína do SARS-CoV-2 mais abundante em pessoas infectadas.

Então, com o uso do cotonete, o material é coletado e inserido no cartão, que é dobrado. Após 15 minutos, o cartão vai exibir duas linhas cor-de-rosa caso o resultado seja positivo, assim como um teste de gravidez. A precisão do exame é de 97.1% para positivo e 98.5% para negativo.

3. Lyumjev 

Imagem: Reprodução/Healthline

Deixando um pouco o coronavírus de lado, a próxima inovação da lista é o Lyumjev , desenvolvido pela empresa Eli Lilly and Company. O produto é uma injeção de insulina para o controle da diabetes que tem ação mais rápida que as injeções convencionais.

Ele conta com uma nova formulação de insulina chamada de treprostinil, que atua no organismo dilatando os vasos sanguíneos para acelerar a sua absorção, além de ter ainda o citrato de sódio, responsável por reduzir o tempo de ação para cerca de 13 minutos, praticamente menos da metade do tratamento convencional.

4. ScanWatch

Imagem: Reprodução/Withings

Com o ScanWatch, que foi desenvolvido neste ano nos Estados Unidos mas que ainda precisa da aprovação da FDA para ser comercializado, o usuário consegue fazer a detecção segura da apneia do sono. Pessoas que sofrem com o distúrbio sentem falhas na respiração quando estão em momento de relaxamento durante o sono, com suas vias aéreas se estreitando e interrompendo o fluxo do ar.

De acordo com estudos médicos, cerca de 80% dos casos de apneia do sono classificadas como moderadas ou graves não são diagnosticadas. Então, com o dispositivo ScanWatch, desenvolvido pela empresa Whithings, o usuário recebe uma notificação através de um sistema de alerta que revela se ele precisa buscar ajuda médica para um estudo mais completo do seu sono.

O aparelho vestível é equipado com um sensor de movimento, um sensor de O2 e um monitor de frequência cardíaca. Juntas, as tecnologias detectam distúrbios respiratórios e quedas nos níveis de saturação do oxigênio, responsáveis por provocar a redução do fluxo de ar durante a noite.

5. ComplexSys

Imagem: Divulgação/Complexys

O ano de 2020 também nos apresentou à tecnologia Complexys, que consiste em um óculos de realidade aumentada de design leve e de alta resolução, que traz mais praticidade e desempenho na realização de diversas tarefas. O dispositivo conta com interface que funciona com controle por voz, deixando as mãos livres, e pode ser usado nas áreas de logística, manufatura, educação, saúde e exposições.

O Complexys possui reconhecimento de objeto, voz e melhoria de imagem, e também possui recursos para ajudar no combate à pandemia da COVID-19. O equipamento consegue monitorar de forma simultânea 10 pessoas por segundo, o equivalente a 1.000 pessoas por minuto, verificando a presença de febre em uma distância de até seis metros, evitando a aproximação com uma pessoa que possa estar infectada.

6. iMASC

Imagem: Reprodução/MIT

O ano de 2020 também ficará marcada como o ano em que começamos a usar máscaras. Desde o início da pandemia, profissionais de saúde vêm enfrentando a escassez de equipamentos de proteção, precisando reutilizar máscaras que não deveriam ser reutilizadas.

E para solucionar esse problema, o MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), desenvolveu uma máscara tão eficaz quanto a N95, usada pelos profissionais de saúde, que pode ser esterilizada e reutilizada com segurança. A máscara recebeu o nome de iMASC e é produzida com silicone durável, contando ainda com com um espaço para a troca das válvulas.

A próxima etapa do MIT antes de colocar a máscara no mercado será ajustar ainda mais o design do produto para se adaptar aos diferentes formatos de rosto, principalmente os menores.

7. MedWand

Imagem: Reprodução/MedWand

A telemedicina ficou em evidência em 2020, sendo uma solução para evitar o contato com outras pessoas que possam estar contaminadas pelo coronavírus, sempre que possível. E para valorizar ainda mais a tendência, foi criado o kit de diagnóstico MedWand, que permite ao paciente fazer a triagem da sua saúde em sua própria casa, com acompanhamento médico.

O kit é conectado via USB no computador do paciente e conta com 10 ferramentas de exames, como um estetoscópio para os batimentos cardíacos, otoscópio para examinar os ouvidos, oxímetro para a frequência cardíaca e níveis de oxigênio no sangue, e sensor de eletrocardiograma. Os resultados são mostrados na tela do computador, indicando como está a saúde do paciente e se ele precisa de mais algum exame presencial. O produto ainda precisa de aprovação para chegar ao mercado.

8. Elliot 

Imagem: Divulgação/HeartHero

Um desfibrilador pode ser crucial para garantir a sobrevivência de uma pessoa que sofreu uma parada cardíaca. Porém, o produto nem sempre pode ser encontrado em todos os lugares e também não é tão simples de carregar. Pensando nisso, foi desenvolvido o dispositivo HeartHero, que pode ser carregado na bolsa, pesando apenas 1,3 kgs, e será de bastante utilidade para pessoas que correm risco de sofrer um ataque cardíaco.

Também não é preciso ter conhecimento da máquina para fazer o seu uso. Posicionando as almofadas condutoras no peito do paciente, o aparelho faz a leitura do ritmo cardíaco para determinar qual será a quantidade da carga a ser aplicada. O desfibrilador ainda segue lendo o ritmo da frequência cardíaca da pessoa para avaliar a necessidade de mais tentativas.

9. Laticínio sem vaca

Imagem: Reprodução/Perfect Day

A inovação de 2020 também chegou na alimentação. Com o queijo sendo um dos alimentos mais responsáveis pela emissão de dióxido de carbono na atmosfera, a solução agora é fazer o que vem sendo feito com a carne: gerar produtos sintetizados em laboratório.

Para a obtenção do leite sintetizado, a empresa Perfect Day usou o DNA de vaca no fungo Trichoderma reesei, que produz a proteína do leite, caseína e soro de leite quando alimentado com açúcar. Então, combinando com água, gorduras vegetais, vitaminas e minerais, são feitos laticínios sem precisar depender de uma vaca.

10. CopenHill 

Imagem: Divulgação/CopenHill

Já que estamos falando de meio ambiente, a próxima inovação da lista é a criação da poderosa usina de energia CopenHill, que fica em Copenhage, na Dinamarca. Na usina, o lixo é incinerado e, com o conversor catalítico, são removidos todos os poluentes que podem prejudicar a atmosfera para transformar a fumaça nos resíduos de energia mais limpos do mundo.

A promessa do CopenHill é converter 440 toneladas de lixo todos os anos para abastecer 150 mil residências. O local é tão grande que ainda conta com uma pista de esqui, uma parede de escalada e uma trilha de caminhada. Até 2025, a cidade de Copenhage quer se tornar carbono neutro.

11. e-OPRA 

Imagem: Divulgação/Integrum

Quando as primeiras próteses começaram a ser criadas, elas ainda não eram confortáveis e muito menos funcionais. pensando em evoluir ainda mais essa necessidade, a empresa Integrum lançou o e-OPRA, uma prótese que é encaixada diretamente no osso do paciente por meio de uma técnica chamada osseointegração, evitando possíveis machucados e desconfortos das soluções tradicionais.

O sistema do e-OPRA conta com eletrodos bidirecionais para que o paciente possa controlar o membro através do cérebro, chegando até mesmo a sentir as coisas que são tocadas pela prótese. Esses eletrodos ficam dentro do dispositivo, evitando que sejam prejudicados com fatores externos, como o suor.

12. Omni Air UV+ 

Imagem: Reprodução/Raycop

Para fechar a lista com as maiores inovações da área da ciência e saúde de 2020, mais uma solução para combater a COVID-19: um aspirador de pó com UV que neutraliza vírus e bactérias. Batizado de Omni Air UV+, o aparelho é sem fio e conta com uma luz ultravioleta que gera o brilho azul responsável por manter o ambiente ainda mais higienizado.

Graças a um filtro HEPA integrado, o produto também é capaz de capturar todos os alérgenos que possam estar no ambiente. Por ser leve e prático, pode ser usado não só dentro de casa, como também no carro, alcançando as partes mais difíceis.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.