Apneia obstrutiva do sono pode aumentar o risco de morte súbita, diz estudo

Apneia obstrutiva do sono pode aumentar o risco de morte súbita, diz estudo

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 12 de Agosto de 2021 às 08h30
gpointstudio/Freepik

Você sabe o que é apneia obstrutiva do sono? Trata-se de um transtorno crônico em que a pessoa tem a obstrução parcial ou completa das vias aéreas durante o sono, fazendo com que ela pare de respirar. Atualmente, cerca de um bilhão de pessoas  em todo o mundo sofrem com a condição, o que preocupa os autores de um novo estudo sobre o assunto.

De acordo com a pesquisa, realizada por especialistas da Penn State (universidade da Pensilvânia) com mais de 42 mil pacientes, pessoas que sofrem de apneia obstrutiva do sono têm um risco maior de desenvolver doenças cardiovasculares, como hipertensão, doença arterial coronariana e insuficiência cardíaca congestiva. Esses indivíduos também correm risco de morte súbita por diversas causas, como a cardiovascular.

Imagem: Reprodução/wavebreakmedia_micro/Freepik

Anna Ssentongo, cientista líder do estudo, diz que a pesquisa mostrou que pessoas com apneia obstrutiva do sono tiveram risco duas vezes maior de morte súbita ou cardiovascular do que aqueles sem o transtorno. A pesquisadora diz ainda que estudos futuros precisam ser feitos para identificar tratamentos e intervenções que possam melhorar a chance de sobrevivência nesses casos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A pesquisa mostra ainda que pessoas que sofrem com a doença podem ter um desequilíbrio dos antioxidantes no organismo, o que é provocado pela falta de oxigênio disponível para as células. Esse processo, então, acelera o envelhecimento e acaba desencadeando novos problemas de saúde.

Os cientistas responsáveis pelo estudo afirmam que pessoas diagnosticadas com o transtorno não consideram os riscos que ele oferece, e dizem esperar que o estudo acenda um alerta para a conscientização de medidas de prevenção das comorbidades, principalmente do risco de morte súbita.

Você pode conferir o estudo na revista científica BMJ.

Fonte: Futurity

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.