Açaí contra COVID-19? É isso que pesquisadores estão testando no Canadá

Açaí contra COVID-19? É isso que pesquisadores estão testando no Canadá

Por Nathan Vieira | 01 de Setembro de 2020 às 18h40
Alexander Mils/Unsplash

Com a pandemia preocupando cada vez mais a população, empresas e pesquisadores estão dedicados a encontrar um meio eficaz de lidar com a COVID-19, seja por meio de vacinas ou medicamentos. Mas o que você acha de usar açaí contra o vírus em questão? É isso mesmo que os pesquisadores canadenses Michael Farkouh e Ana Andreazza, da Universidade de Toronto, estão testando.

Para a realização do estudo, Farkouh e Andreazza recrutaram aproximadamente 580 pacientes canadenses e brasileiros que apresentaram resultado positivo para a COVID-19. Dentre esses pacientes, metade recebeu doses de um medicamento experimental com base no fruto do açaí, e a outra metade recebeu doses de um placebo. A proposta é que o açaí ajude em um tratamento para os sintomas mais graves do coronavírus, tendo em mente principalmente a vantagem de serem baratos e de fácil acesso.

Ana Andreazza já acumula uma experiência de cinco anos analisando o efeito do açaí sobre a resposta inflamatória. Algumas análises em torno desse fruto inclusive já apontaram a capacidade de reduzir inflamação. Quanto à COVID-19, os especialistas observam que o vírus pode causar inflamação aguda e levar a complicações de saúde.

Os especialistas almejam que a intervenção precoce com o extrato, se for eficaz, evite os sintomas mais prejudiciais associados a este vírus potencialmente fatal. O estudo deve durar 30 dias e seus resultados serão divulgados até o final de 2020.

Açaí pode ser um aliado contra a COVID-19? Pesquisadores canadenses testam remédio com base no fruto em voluntários (Imagem: Edward Jenner/Pexels)

Medicamentos contra a COVID-19

Desde os primeiros casos do novo coronavírus (SASR-CoV-2), pesquisadores do mundo todo investigam possíveis tratamentos para os pacientes da COVID-19. Recentemente, a farmacêutica britânica AstraZeneca começou os testes em humanos de um coquetel à base de anticorpos sintéticos para agir tanto na prevenção quanto no tratamento da infecção.

Além disso, uma equipe formada por químicos da Universidade HSE e do Instituto Zelinsky de Química Orgânica, ambos na Rússia, descobriram que um medicamento usado contra o alcoolismo chamado Dissulfiram pode ser eficaz no combate a nova doença. Os químicos investigaram a ação de inúmeros remédios na protease (Mpro) do coronavírus, que é a sua principal enzima.

Fonte: CTV NewsCorreio Braziliense

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.