TSMC ultrapassa Tencent e Alibaba e se torna a empresa mais valiosa da Ásia

TSMC ultrapassa Tencent e Alibaba e se torna a empresa mais valiosa da Ásia

Por Bruno Bertonzin | Editado por Wallace Moté | 18 de Agosto de 2021 às 10h59
Vladdeep/Envato

Uma nova análise de mercado aponta que a fabricante de semicondutores TSMC ultrapassou a Tencent e a Alibaba na lista de empresas mais valiosas da Ásia e ocupa, agora, a primeira posição no ranking. Segundo o estudo levantado, a empresa taiwanesa foi beneficiada pelo movimento de órgãos reguladores chineses e pelo seu crescimento em meio à crise no mercado dos componentes.

Os dados foram organizados pela Refinitiv Eikon e revelam que agora a TSMC é avaliada em mais de US$ 538 bilhões, enquanto a Tencent fica um pouco abaixo, com cerca de US$ 536 bilhões e a Alibaba fica em terceiro, com aproximadamente US$ 472 bilhões.

Tencent e Alibaba perdem valor após novas regulamentações na China

(Imagem: Divulgação/Alibaba)

Essa movimentação no pódio das empresas mais valiosas na Ásia é justificada, entre outros fatores, pelas novas regras impostas pelo governo chinês para acabar com práticas anticompetitivas no mercado de internet no país, o que acabou por prejudicar tanto a Tencent — empresa que controla, por exemplo, o game League of Legends — e a Alibaba, que é dona da popular loja online AliExpress.

Segundo as informações, as empresas perderam mais de US$ 20 bilhões cada após a regulamentação imposta pelo governo chinês na última terça-feira (17), o que impactou na avaliação de ambas no mercado. As novas normas determinadas visam acabar com a competição desleal na internet no país.

TSMC apresenta crescimento durante crise no fornecimento de semicondutores

(Imagem: Divulgação/TSMC)

Enquanto as chineses perderam posição no mercado devido a legislação local, a taiwanesa, por outro lado, continua a apresentar crescimento e aproveitar a crise no fornecimento de semicondutores.

A TSMC — que acumula clientes importantes como Apple, Qualcomm e Nvidia — anunciou, ainda, um investimento de US$ 100 bilhões ao longo dos próximos três anos, valor que deverá aumentar a capacidade da companhia, segundo informações a Reuters.

A companhia ainda registrou um crescimento de 6% desde o início deste ano. Além dos clientes mencionados acima, a fabricante também se beneficiou pela alta demanda no mercado de automóveis e data centers.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.