Twitter testa exibir vídeos do YouTube dentro dos próprios tuítes

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 18 de Março de 2021 às 17h22
Photo Mix /Pixabay

O Twitter trabalha em uma maneira de permitir que o usuário assista a vídeos do YouTube na própria timeline. O objetivo é que o tuíte já exiba o vídeo ali mesmo, sem redirecionamentos para fora da rede. Atualmente, para visualizar este tipo de conteúdo a pessoa é conduzida para um link externo, o que é algo bastante inconveniente para quem deseja continuar navegando na rede do passarinho (especialmente no celular).

O recurso está sendo testado no iOS e pode ser liberado em breve. O Twitter compartilhou informações sobre como isso vai funcionar:

Segundo o site The Verge, um porta-voz da rede afirmou que o teste estará disponível para “um grupo pequeno de usuários” de Canadá, Estados Unidos, Japão e Arábia Saudita. Trata-se de um experimento que deve levar quatro semanas — após o período, os desenvolvedores vão analisar os resultados e fazer os ajustes necessários.

Ainda não há previsão para outros países nem data de lançamento oficial da novidade. Mas, com o Spaces chegando oficialmente em abril, cresce a expectativa de que as inovações testadas na rede venham juntas.

Novos recursos do Twitter

Este novo recurso chega junto com duas outras funcionalidades anunciadas na semana passada. A primeira delas é o fim do corte nas imagens na prévia do feed, enquanto a segunda é a possibilidade de subir e visualizar imagens em 4K no celular.

(Imagem: Divulgação/Twitter)

A rede de microblogs também estaria trabalhando um recurso de correção de posts. Não se trata de um botão “Editar”, mas permitiria que a pessoa desfizesse o tuíte até 5 segundos depois de publicado. Seria uma boa para quando o post sai com um errinho de português, mas você não quer apagar e republicá-lo novamente.

O objetivo do Twitter é melhorar a experiência de navegação e a visualização de mídias na rede social. A ideia é manter o usuário navegando pela timeline o máximo de tempo possível, sem que haja dispersão ou saídas forçadas da plataforma.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.