Twitter pode estar negociando compra do Flipboard

Por Redação | 26 de Maio de 2015 às 10h11

Em mais um passo para fortalecer sua posição no mundo online e trazer novos usuários para si, o Twitter parece estar de olho no Flipboard. Pelo menos é isso que afirmam os mais recentes boatos do segmento tecnológico, que apontam para uma aquisição que, para a rede social do passarinho, poderia custar até US$ 1 bilhão caso o negócio seja fechado.

Utilizado principalmente por donos de tablets, o Flipboard é um app de leitura de notícias capaz de exibir feeds em formato de revistas. Criadores de conteúdo podem criar seus próprios espaços no serviço, enquanto os usuários também podem realizar uma curadoria própria e disponibilizar sua seleção para os seguidores. De acordo com a companhia, 800 milhões de pessoas utilizavam a solução no final de 2014.

São dois, porém, os problemas que colocam dúvidas sobre a veracidade dos rumores de aquisição. O primeiro é que, apesar de ter um grande volume de usuários, o Flipboard estaria estagnado desde janeiro, tendo dificuldades não apenas para ampliar sua base de leitores, mas também para manter os atuais. Além disso, a empresa teria dificuldades para se monetizar, gerando um faturamento e lucros menores que os desejados para uma empreitada de seu tamanho.

Além disso, ficam as dúvidas sobre o que exatamente o Twitter faria com o Flipboard e, acima de tudo, de que maneira a rede social poderia trazer usuários de uma plataforma para a outra. Uma das possibilidades é a utilização do sistema de curadoria de conteúdo, que é uma das marcas do leitor de feeds, já que a mistura entre publicidade e noticiário é uma das estratégias da rede social para ampliar seu faturamento e fazer mais dinheiro.

Outra hipótese apontada pelas fontes que indicaram os rumores à imprensa internacional pode ter a ver com a simples transferência de tecnologia e pessoal para a equipe do Twitter. A empresa pode estar pensando em alguma nova função e ela poderia ser explosiva o suficiente para justificar a compra de uma empresa de milhares de dólares apenas por suas patentes e pessoal especializado. Nesse caso, provavelmente, o Flipboard poderia continuar funcionando como hoje, sem alterações, enquanto seu time trabalha não apenas nele, mas também em outros projetos.

O cofundador do Flipboard, Mike McCue, inclusive, já trabalhou para o Twitter. Ele foi membro da diretoria da rede social entre 2010 e 2012, deixando a posição justamente por enxergar o início de uma competição entre as empresas, o que acabaria gerando conflito de interesses. Adquirir o serviço, então, seria uma maneira de trazê-lo de volta, já que ele é considerado um dos grandes nomes do Vale do Silício na atualidade e um grande executivo para se ter ao lado quando o assunto é crescer e gerar lucros, duas das palavras de ordem nos escritórios do passarinho ultimamente.

Por enquanto, como normalmente acontece, nada está confirmado. Nenhuma das empresas supostamente envolvidas no negócio se pronunciaram sobre o caso, o que não serve nem para negar nem para provar que algo está acontecendo nos bastidores.

Rumores e conversas sobre aquisições, porém, são uma constante na vida do Twitter desde os primeiros meses de 2015. Em março, por exemplo, a empresa adquiriu uma startup de transmissão de vídeos mobile antes mesmo que ela lançasse seu primeiro produto, o agora conhecido Periscope. O software está disponível em versão iOS e deve ganhar edição para o sistema operacional Android bem em breve.

Fonte: Re/Code

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!