Twitter começa a liberar ferramenta para remover seguidores sem bloqueá-los

Twitter começa a liberar ferramenta para remover seguidores sem bloqueá-los

Por Alveni Lisboa | Editado por Renato Santino | 08 de Setembro de 2021 às 10h11
Reprodução/Twitter

O Twitter oficializou a chegada, em caráter experimental, do recurso que possibilita remover seguidor do seu perfil sem precisar bloqueá-lo. Trata-se de uma ferramenta que estava em testes há meses e que é parte do pacote de segurança proposto pela rede social na segunda-feira (6), em um esforço para tornar o ambiente menos tóxico aos usuários.

O objetivo é oferecer mais privacidade aos perfis para evitar assédio, importunação e ataques à honra da pessoa. A vantagem da remoção é que o seu perfil simplesmente desaparece das notificações e da linha do tempo do hater, o que pode minimizar ameaças.

Pelo modelo atual, só há duas formas de evitar o assédio: denunciá-lo ao suporte do Twitter e aguardar uma solução (que pode nunca vir) ou bloquear imediatamente e sujeitar-se a retaliações. É claro que isso não impedirá que os inconvenientes ocorram se você tiver uma conta pública, mas pode reduzir aquela indignação inicial de descobrir que foi bloqueado.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A rede social está liberando a remoção de seguidores de modo gradual, portanto pode levar algum tempo até que o seu perfil a receba — aqui no Canaltech já foi possível usá-la. Além de evitar inconvenientes, esse controle mais rígido de seguidores pode ajudar também a excluir robôs ou perfis inativos que nada agregam ao perfil.

Remover seguidor deve(Imagem: Captura de tela/Canaltech)

Pacote anti-assédio

Até 2022, a rede social do passarinho pretende implantar um "Modo de Segurança", que deve restringir marcações ou interações com o seu perfil durante sete dias. Essa adição blindará o perfil para evitar a propagação do ódio contra determinada pessoa, algo bastante comum nas práticas de "cancelamento".

Há planos também de liberar uma configuração que arquiva automaticamente tuítes após 30, 60 ou até 365 dias, o que pode evitar constrangimentos em entrevistas de emprego ou em relacionamentos, caso tenha publicado algo "questionável" no passado. Outro recurso que pode chegar em breve é a possibilidade de omitir sua atividade, como os likes feitos em algum tuíte.

Fonte: Twitter  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.