1ª tuite da história completa 15 anos

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 22 de Março de 2021 às 16h55
Reprodução/Mobilesyrup

Há exatos 15 anos, Jack Dorsey era apenas um sonhador publicando uma mensagem banal na plataforma que havia criado: "just setting my twttr” (apenas configurando meu twttr, em português). O que ele não imaginava é que este seria o primeiro de bilhões de outros tuítes na rede social recém-nascida.

O Twitter hoje é uma plataforma de alcance global que ainda se mantém muito ativa, mesmo após tanto tempo. São mais de 350 milhões de usuários, sendo 16 milhões apenas no Brasil. Prova da relevância é que a rede do passarinho azul permanece no centro de discussões sobre impacto social, fake news e censura.

Empresas, especialmente no ramo da tecnologia, celebridades, profissionais da imprensa e autoridades de todo o mundo usam o Twitter como principal meio de comunicação com o seu público. A facilidade de uso e rapidez são fatores atrativos — muitos jornalistas antecipam informações antes mesmo de elas estamparem o noticiário online.

Uma rede em constante renovação

Com uma proposta focada na agilidade, a rede nasceu como uma alternativa ao envio de SMS, por isso nasceu com a mesma limitação: 140 caracteres. Em 2017, esse comprimento foi ampliado para 280 caracteres, como forma de garantir mais espaço para expressar ideias.

No início, o nome da rede seria “Status”, mas os criadores queriam algo mais marcante. Decidiram mudar para Twttr, como uma alusão ao piado emitido pelos passarinhos, o que encaixava perfeitamente no conceito. Mas a falta de vogais comprometia a leitura do nome, especialmente em idiomas diferentes do inglês, o que provocou a mudança para o que conhecemos hoje.

Caderno do CEO do Twitter com a primeira ideia de nome para a rede (Imagem: Reprodução/Jack Dorsey)

O passarinho, é claro, foi escolhido como símbolo da rede. O azul é uma marca das empresas do setor tecnológico, por isso a plataforma acabou usando-o em um tom mais claro para transmitir a sensação de leveza. O mascote foi evoluindo até chegar a versão atual, criada em 2012.

Se antes só era possível usar textos, com o passar do tempo a plataforma ganhou suporte a fotos, vídeos e links externos. A linha do tempo foi aprimorada e surgiu a “Thread”, que permitiu o desenvolvimento de discussões acerca de assuntos. O famoso “segue o fio”, como é carinhosamente chamado no Brasil, reúne todas as respostas e tuítes relacionados àquele assunto.

O passarinho foi mudando até chegar ao que é hoje (Imagem: Reprodução/Logodix)

Hoje a rede trabalha em formas de atrair mais usuários e mantê-los conectados. As imagens agora não são mais cortadas no preview de um conteúdo e os vídeos do Youtube passarão a ser exibidos no próprio tuíte, sem necessidade de direcionamento externo.

Polêmicas sobre conteúdo

Mas nem só de festa vive o Twitter: a rede coleciona polêmicas ao longo dos anos. Nos últimos meses, a rede se viu envolvida em embates com autoridades, em especial chefes de estado.

Exemplos conhecidos são os casos do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o chefe do Executivo brasileiro, Jair Bolsonaro. Ambos já tiveram postagens apagadas por divulgar conteúdos considerados impróprios pela rede — o americano, inclusive, foi banido da plataforma após incentivar os ataques à sede do governo dos EUA no início deste ano.

Caso mais emblemático foi a suspensão da conta do ex-presidente dos EUA (Imagem: Reprodução/Twitter)

Esses fatos levantaram debates importantes sobre liberdade de expressão, moderação e sobre a neutralidade das redes sociais. Outras redes começam a se atentar para o fato e a inserir mecanismos de controle, além de aprimorar as diretrizes sobre disseminação de conteúdo.

Quer comprar o primeiro tuíte?

O simples tuíte postado em 21 de março de 2006 pelo CEO do Twitter está à venda em leilão na forma de um NFT, com lances alcançando US$ 2,5 milhões na plataforma Valuables by Cent. O lance pelo tweet de Dorsey termina no domingo e o executivo garantiu que doará os fundos para instituições de caridade.

A primeira versão do Twitter era bem diferente da atual (Imagem: Reprodução/First Versions)

Os NFTs usam a mesma tecnologia de Blockchain, presente em criptomoedas como Bitcoin, para garantir a autenticidade de produtos relacionados a direitos autorais, tais como artes, colecionáveis, vídeos e outros materiais valiosos.

Qual foi o seu primeiro tuíte? Ainda lembra de quando começou a usar a rede? Comente e compartilhe suas impressões.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.