Oito perguntas sobre: a tecnologia que funciona como o "Ibope" do IGTV

Por Rui Maciel | 09 de Agosto de 2020 às 14h30
Tudo sobre

Instagram

Saiba tudo sobre Instagram

Ver mais

Não é segredo que o IGTV, aplicativo que transmite vídeos mais longos do Instagram, tem uma concorrência forte no setor. Isso passa tanto pelo estabelecido YouTube, navegando "pelas webs" desde 2005, quanto pelo meteórico TikTok, a plataforma de vídeos curtos da chinesa ByteDance, que é a febre atual da internet, tem 800 milhões de usuários mundo afora, além de ter registrado dois bilhões de downloads até agora. Sim, a luta é inglória.

No entanto, é imprudente desprezar uma plataforma que "mora" no Instagram, talvez a mais popular e influente rede social dos últimos anos, superando até mesmo o seu controlador, o Facebook. Para ficarmos em alguns números, o "Insta" possui mais de um bilhão de usuários ativos mensais, 500 milhões de acessos diários ao Stories, mais de 65% do seu público com faixa etária variando entre 18 e 34 anos e tendo o Brasil como o seu terceiro maior mercado, com mais de 70 milhões de adeptos. E esses são os dados mais recentes divulgados, que datam de 2018. Logo, a coisa toda deve estar ainda maior.

Mesmo com números tão superlativos, o IGTV ainda patina para decolar. Dados de 2019 da consultoria Sensor Tower, empresa especializada em análise de aplicativos, estimam que IGTV tenha sido baixado apenas 4,2 milhões de vezes desde o seu lançamento (em 2018), contando com apenas uma média de 7.700 novos conteúdos por dia. Esses números representam menos de 0,5% dos bilhões de usuários do Instagram que fizeram o download.

Mas, com algumas mudanças que podem ser promovidas dentro da plataforma pelo próprio Instagram para atrair mais usuários para o IGTV, o aplicativo pode ser uma aposta bem interessante, principalmente para influenciadores digitais e campanhas de marketing.

E pensando nisso, a Squid, empresa especializada em marketing de influência, anunciou o lançamento de uma tecnologia que processa os dados do IGTV e consegue metrificar os dados de engajamento de campanhas que são realizadas com influenciadores cadastrados na plataforma. E no "Oito perguntas sobre… " desse domingo, conversamos com Felipe Lima, CTO da Squid, que explica logo abaixo como funciona esse "IBOPE" do IGTV.

Confira como foi o papo logo abaixo:

Canatech: Como funciona a tecnologia da Squid que faz a metrificação de dados da IGTV e como foi o desenvolvimento da ferramenta?

Felipe Lima: Estamos sempre de olho no mercado e buscamos trazer novidades que acompanham a velocidade dos acontecimentos. Como eu e o time de tecnologia somos naturalmente inquietos, vimos crescer com o uso das lives, que frequentemente são salvas no IGTV e conteúdos mais longos, muito utilizados pelos influenciadores em tutoriais, experiências do it yourself, mini aulas entre outras coisas. Vimos ali uma oportunidade de atualizar nossa ferramenta de leitura de conteúdos para pudéssemos acompanhar a performance desses vídeos mais longos.

Como a plataforma é própria, apenas realizamos uma adaptação. Nesse caso, fazendo com que nossa tecnologia de acompanhamento de posts passasse a reconhecer o IGTV e o Reels (plataforma de vídeos curtos do Facebook, criada para competir com o TikTok). Por isso, não houve investimento, mas sim, aprimoramento do que já temos enquanto plataforma. Esta ferramenta permite entender o número de likes, visualizações e comentários.

Temos uma equipe dedicada ao desenvolvimento da plataforma, que é totalmente proprietária. Nosso algoritmo faz a leitura dos dados dos conteúdos publicados pelos influenciadores, que possuem perfil business e também utilizamos uma API da própria rede. Ou seja, são dados públicos. Importante dizer que todo o processo já está de acordo com as diretrizes da nova LGPD. Nós não tivemos participação ativa da rede social, apenas temos o contato legal para obter os dados que necessitamos de desempenho dos conteúdos.

CT - Quais são os dados que são metrificados pela nova tecnologia da Squid e quais são os benefícios que o usuário tem ao utilizar essa ferramenta de metrificação?

F.L.: Agora nossa plataforma reconhece o número de views e comentários gerados no formato. Os relatórios gerados à partir desses números coletados ajudam cliente e também o creator a entender o desempenho do conteúdo durante a campanha.

Os dados que coletamos servem para que o cliente que esteja com uma campanha ativa possa compreender o desempenho da ação como um todo. Hoje, com essa automatização, o cliente ganha agilidade e pode visualizar em tempo real a performance da ação e também permite que o nosso time, que está fazendo a gestão da campanha, foque no relacionamento com os influenciadores e na conquista dos objetivos, ao invés de recolher manualmente cada print ou relatório de engajamento. Isso dá mais autonomia para o time e também confiabilidade dos dados, já que são coletados diretamente do perfil.

CT - Hoje o IGTV tem concorrentes fortes como o YouTube e o TikTok. Na visão da Squid, qual é o potencial atual da plataforma para enfrentar esses rivais?

F.L.: Apesar de concorrentes, cada rede tem um foco e perfil de uso distinto. O YouTube conta com ferramentas de busca e SEO extremamente aprimoradas. É uma potência para conteúdos longos, mais aprofundados e com grande retenção do público. O TikTok surge com uma proposta muito focada no entretenimento e na positividade. O Instagram conta com um misto de um editorial criado pelos conteúdos "perenes" do feed, com a efemeridade e fluidez do conteúdo real time dos stories, por exemplo.

A concorrência é grande, mas a plataforma do grupo do Facebook ainda é uma potência, tanto para a publicidade paga quanto para os creators, por proporcionar uma variedade imensa de formatos e recursos em um único lugar.

Dashboard da plataforma da Squid: mais informações que podem direcionar melhor as campanhas no Instagram (Foto: divulgação)

CT - Em um futuro próximo, será possível desenvolver uma ferramenta de metrificação de dados similar a essa que é usada no IGTV para outras plataformas, como YouTube e TikTok?

F.L.: Atualmente, nosso sistema já possui a API do YouTube e realizamos campanhas com criadores de conteúdo da plataforma. Com isso, podemos entender o desempenho das ações com esses influenciadores. O TikTok tem ganhado cada vez mais espaço entre os produtores de conteúdo e já temos realizado campanhas também nessa rede social e estamos estudando as métricas que são utilizadas.

CT - Essa ferramenta de metrificação de dados é mais indicada para criadores de conteúdos ou para empresas que querem investir em campanhas? Ou para ambos?

F.L.: A ferramenta de análise de métricas está disponível para ambos. Os dados são analisados e disponibilizados tanto na plataforma dos anunciantes quanto no web app dos influenciadores. O cliente consegue entender de forma macro como foi o recebimento da campanha pela audiência dos criadores de conteúdo. Para os influenciadores é uma excelente oportunidade para entender como foi o desempenho dos formatos.

CT - A Squid já possui clientes que utilizam essa ferramenta de metrificação de dados? O que eles procuram nesse tipo de tecnologia?

F.L.: A ferramenta é parte da nossa plataforma. Todos nossos clientes terão acesso aos dados coletados dos conteúdos das campanhas. Na Squid, somos grandes entusiastas do pensamento data driven. A tecnologia é uma grande aliada do marketing em diversos aspectos. Os dados, quando bem utilizados, são uma poderosa ferramenta de criatividade, conferindo embasamento aos insights de uma campanha com influenciadores, por exemplo. Com eles, é possível agilizar tomadas de decisão, tomar rotas mais assertivas e implementar melhorias.

Mesmo derrapando na audiência, o IGTV tem potencial de crescimento para os próximos anos


CT - Como empresas ou influenciadores podem ter acesso à ferramenta da Squid? Como funciona o modelo de cobrança pelo uso da tecnologia?

F.L.: A análise de IGTV, Reels e Stories e todos os outros conteúdos fazem parte da plataforma da Squid. Para os clientes, as atualizações trazem um novo layer de dados dentro da ferramenta que eles já têm acesso. Para os influenciadores, a plataforma é 100% gratuita e os dados das campanhas também serão disponibilizados no web app que eles já utilizam. Além disso, para os creators, é possível criar um mídia kit oferecido pela Squid com os dados verificados do perfil em poucos cliques.

CT - O que podemos esperar para o futuro das estratégias de data driven? Que tipos de tecnologia serão usadas a curto e médio e prazo e que as agências já estão de olho?

F.L.: O marketing de influência estará cada vez mais conectado com estratégias data driven. Apenas com uma grande capacidade de processamento e análise de dados será possível dar um novo passo na construção de ações realmente efetivas. Marcas terão mais acesso a informações que permitirão traçar planejamentos mais complexos, assertivos e consequentemente, com maior investimento e retorno.

Do lado dos influenciadores, a tecnologia será cada vez mais aliada da criatividade, dando a eles mais recursos e tempo disponível para focar na criação. Do nosso lado, temos estudado cada dia mais formas de agregar diferenciais tecnológicos para esses dois lados e para isso acompanhamos as discussões e tendências que surgem nesse mercado, principalmente no exterior. Nosso time busca compreender as necessidades dos clientes, influenciadores e especialistas que atuam diretamente time que auxilia nas campanhas e foca em desenvolver traz o que há de mais inovador.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.