Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Por que Transformers teve capa da Marvel proibida pela Hasbro?

Por| 15 de Maio de 2024 às 20h13

Link copiado!

Marvel Comics
Marvel Comics

Muitas das franquias de animações famosas nos anos 1980, a exemplo de ThunderCats e Comandos em Ação, estão de volta em uma nova fase nos quadrinhos, em um tratamento mais amplo no estilo “cinematic universe” que a Marvel Comics dá para Star Wars, Alien e Predador. Transformers é uma delas, e, entre os novos lançamentos, há uma “lenda de bastidores”: é verdade que os robôs falantes já tiveram uma capa proibida pela Hasbro?

De acordo com a sessão Comic Books Revealed, do CBR, houve uma mudança na estratégia editorial da Marvel no início dos anos 1980, com a introdução da “série limitada” Contest of Champions, em 1982.

O projeto visava séries limitada e teve ajuda do desenvolvimento do sistema de “mercado direto”: a editora passaria a vender diretamente para distribuidores, que, então, fariam o mesmo para as lojas de quadrinhos.

Continua após a publicidade

Dessa maneira, a Marvel poderia experimentar alguns conceitos para séries que nunca teria, sem se comprometer em publicar um título de maneira contínua. Isso fez grande diferença nos quadrinhos licenciados pela editora.

Afinal, quando você está fazendo uma história em quadrinhos baseada em um brinquedo ou desenho animado, é muito menos arriscado poder primeiro experimentar como o mercado reage por meio de uma série limitada antes de cravar um título mensal — vale destacar que, naquela época, não era possível medir o “termômetro” de sucesso de alguma franquia adaptada para os gibis em redes sociais, por exemplo.

A polêmica capa de Transformers

Continua após a publicidade

Quando a Marvel lançou a série de quadrinhos Transformers em 1984, baseada na linha de brinquedos da Hasbro, a Casa das Ideias já tinha certa experiência com essa parceria, pois tinha trabalhado anteriormente da mesma forma com GI Joe: A Real American Hero (mais conhecido no Brasil como Comandos em Ação).

Eis que, em uma decisão de marketing chocante para época, a quarta edição acaba com os Autobots sendo devastados por seus inimigos. Contudo, antes que os leitores pudessem reclamar de um final tão baixo-astral, a própria sessão de cartas deixava claro que, na verdade, a resposta para o que todos tinham acabado de ver estaria em Transformers #5, o primeiro número na nova série mensal da franquia.

E, mesmo a Marvel deixando isso bem claro na sessão de cartas e no início da quinta edição, a capa de Transformers #5 foi barrada pela Hasbro, porque vinha com a seguinte imagem: um robô Deceptacon e uma parede quebrada com os dizeres: “Estão todos mortos”, em uma alusão ao fatídico final do número anterior.

Continua após a publicidade

Como a Marvel publicou a capa rejeitada?

Em entrevista ao site AIPT no ano passado, o roteirista Christopher Priest, que era o editor de Transformers na época, explicou o que deu errado com a capa desenhada por Mark Bright. “E as notas que recebemos da Hasbro foram: ‘Bem, se você disser que os Transformers estão todos mortos, as crianças vão parar de comprar os brinquedos’. Essa foi talvez uma das coisas mais ridículas que já ouvi de um licenciado”, lembrou.

“Tive que explicar para essa pessoa – que tenho certeza que era uma pessoa perfeitamente legal,  mas que não sabia nada sobre quadrinhos, e provavelmente menos ainda sobre brinquedos — que eles não iriam parar de comprar. Eles não iriam acreditar que os Transformers estariam todos mortos. As crianças não são ‘tão estúpidas’”, afirmou Priest.

Continua após a publicidade

“Mesmo que estivessem todos mortos – eles estarão de volta na próxima edição. Quero dizer, vamos lá, quem acreditou que o Superman estava morto? Toda a reação sobre o Superman voltar à vida foi totalmente ridícula. Você realmente acha que a DC iria se afastar do Superman? Você está louco? Mas de qualquer forma, depois de algumas conversas, consegui convencê-los”, finalizou Priest.

Ou seja, muito antes da morte do Superman, nos anos 1990, Priest convenceu aos executivos da Hasbro, no início dos anos 1980, que as empresas não podem subestimar o seu próprio público. E assim, Transformers #5 foi publicado com a mesma capa rejeitada, fazendo um grande sucesso na época, com uma reviravolta sensacional até hoje lembrada pelos fãs.