Publicidade

Review The Freestyle 2023 | O novo projetor portátil da Samsung

Por| Editado por Léo Müller | 11 de Outubro de 2023 às 14h00

Link copiado!

Review The Freestyle 2023 | O novo projetor portátil da Samsung
Review The Freestyle 2023 | O novo projetor portátil da Samsung

Em outubro de 2023, a Samsung anunciou oficialmente a chegada da segunda geração da The Freestyle ao mercado brasileiro. O projetor chegou com algumas melhorias bem relevantes em relação ao modelo passado e se destaca por oferecer uma boa qualidade de imagem de forma portátil.

Eu testei a nova The Freestyle pelos últimos dias, aproveitei bastante seus recursos e agora trago a minha opinião sincera sobre o dispositivo. Confira:

Continua após a publicidade

Design minimalista e construção premium

O novo The Freestyle não mudou nada em relação ao seu antecessor em termos de design. Ele segue como um projetor portátil de visual bem minimalista, que combina com qualquer ambiente e oferece a experiência de ter uma TV em qualquer lugar.

O acabamento do corpo é levemente emborrachado, enquanto a base é de metal. Apesar de tudo, é um aparelho consideravelmente leve, então ele pode ser posicionado até em uma prateleira, por exemplo.

Continua após a publicidade

Ela pode ser rotacionada para cima, para frente ou para trás. Dessa forma, fica fácil projetar a imagem no teto, por exemplo, ou escolher a melhor posição para a imagem na parede.

Exibição gigante e bem definida

Um dos principais pontos positivos do The Freestyle é o potencial de projetar a imagem em até 100 polegadas. Dessa forma, você pode ter uma “smart TV” que cobre praticamente uma parede inteira.

E isso, é claro, sem perder em qualidade de imagem. Com suporte para reprodução em Full HD, o projetor oferece um bom nível de definição mesmo se você projetar o máximo em tamanho. É uma pena ainda não ser 4K, mas Full HD já é uma boa resolução.

Continua após a publicidade

Se preferir, ainda é possível usar uma projeção menor, de pelo menos 30 polegadas, caso tenha menos espaço ou queira usar como um “monitor” para o PC, por exemplo. De acordo com a Samsung, para ter uma imagem de 100 polegadas, é necessário uma distância de 2,7 metros, enquanto o mínimo, de 30 polegadas, pede 0,8 metro.

Quanto ao foco e enquadramento, o sistema já faz isso de forma automática, mas se preferir, é possível definir tudo de forma manual nas configurações.

Continua após a publicidade

Som potente em todas as direções

Apesar de ser consideravelmente pequeno, o projetor The Freestyle da Samsung tem um som potente. Com áudio 360°, ele consegue direcionar o volume em todas as direções, o que cria uma boa sensação de imersão, principalmente se for assistir em um cômodo bem fechado.

Quanto ao volume máximo, como efeito de comparação prática, o projetor está basicamente no mesmo nível de uma TV intermediária, então ele dispensa o uso de uma soundbar ou outro aparelho de som externo, caso você não queira um som absurdamente potente.

Sistema completo com interface da Samsung

Continua após a publicidade

O sistema nativo do The Freestyle é o mesmo das TVs da Samsung, ou seja, o Tizen. Com ele, você tem acesso a vários apps de streaming — como Netflix, Prime Video, Disney Plus, Star Plus, Globoplay entre outros — sem precisar conectar um TV Box.

A interface é amigável e de fácil navegação e, com poucos toques, você já acha o que precisa.

Um avanço importante em relação ao modelo da geração passada é que o The Freestyle da segunda geração conta com o Gaming Hub da Samsung, que permite aproveitar jogos na nuvem dos serviços da XboxCloud Gaming e NVIDIA GeForce NOW. Assim, basta conectar um controle sem fio para jogar sem precisar de um console.

Continua após a publicidade

Controle remoto SolarCell sem pilhas

O novo The Freestyle também chega com o controle SolarCell no kit. O acessório, que não faz uso de pilhas, é a grande aposta da Samsung para reduzir o impacto de descartes de baterias no meio-ambiente, além de usar mais material reciclado em sua composição.

Continua após a publicidade

Com ele, você tem um acesso rápido aos principais serviços de streaming com atalhos na parte inferior e o controle segue a estética minimalista da marca. Para carregá-lo, você pode usar um cabo USB-C ou simplesmente deixá-lo exposto à luz solar ou ambiente.

Conexões físicas e sem fio

Em relação às conexões físicas, tenho apenas um ponto negativo a comentar sobre o The Freestyle. Em vez do HDMI “comum”, ele traz o conector micro HDMI. Isso me impossibilitou, por exemplo, de conectar um videogame ao aparelho. Para isso, eu precisaria de um adaptador de HDMI para micro HDMI.

Continua após a publicidade

Fora essa “desvantagem”, o aparelho tem suporte para Wi-Fi 5 e Bluetooth 5.2. Já a entrada da energia é feita por um conector USB-C, com cabo e fonte inclusos no kit.

Concorrentes diretos

Como tem uma proposta mais portátil e design com rotação em 180º, não há um concorrente direto para o Freestyle nesta categoria. Ainda assim, é possível citar um modelo que tem especificações parecidas: o Wanbo T6 Max, dispositivo que pertence a uma empresa subsidiária da Xiaomi.

Ele não é tão portátil e tem algumas desvantagens, como o sistema Android TV limitado e uma resolução mais baixa quando chega em uma projeção acima de 90 polegadas. Tudo isso, o torna mais barato: de R$ 1.600 a R$ 2.000, ao passo que o preço de lançamento do Freestyle 2023 é de R$ 3.999.

Continua após a publicidade

Também é válido citar o The Freestyle da geração passada, que hoje custa em torno de R$ 3.400 e tem apenas alguns recursos a menos que o modelo mais recente, como a ausência do Gaming Hub e uma vida útil menor, que é de 20 mil horas contra 30 mil horas atuais.

Continua após a publicidade

Vale a pena comprar o The Freestyle 2ª Geração

O The Freestyle é um projetor que vale a pena comprar já no seu lançamento. Com preço sugerido de aproximadamente R$ 4.000, ele se destaca entre os modelos mais portáteis, apesar de pecar em não entregar uma resolução mais alta.

O aparelho tem melhorias interessantes quanto à geração passada — como um ajuste de foco e enquadramento melhor e suporte ao Gaming Hub — e tem uma navegação ligeiramente mais rápida.

Mesmo que esses fatores não façam tanta diferença no seu dia-a-dia, o modelo da geração passada custa poucas centenas a menos no momento dessa publicação, então vale o investimento já na nova geração.