Galaxy A52 vs Moto G60 | Que tal escolher o que tem mais recursos?

Galaxy A52 vs Moto G60 | Que tal escolher o que tem mais recursos?

Por Felipe Junqueira | Editado por Léo Müller | 04 de Setembro de 2021 às 12h00
Rafael Damini/Canaltech

Galaxy A52 e Moto G60 são dois ótimos celulares intermediários, e podem ser encontrados por menos de R$ 2.000 com facilidade no varejo online. Ambos contam com poderosos processadores, ótimos conjuntos de câmeras e tela com alta densidade de pixels, além de bateria para pelo menos um dia de uso.

Mas há mais do que apenas uma ficha técnica para se avaliar em um celular. E, olhando de perto, um deles pode valer muito mais a pena comprar do que o outro, por ser um investimento mais interessante a longo prazo.

Descubra qual deles é o mais indicado neste breve comparativo Samsung Galaxy A52 vs Moto G60, que avalia as especificações de tela, câmeras, hardware e bateria, mas não deixa de lembrar outros aspectos importantes para você observar em um celular.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Design e Construção

Design de "peça única" na traseira do Galaxy A52, com apenas alguns furos para câmeras e flash (Imagem: Ivo/Canaltech)

A aparência dos dois aparelhos é semelhante apenas à primeira vista, e olhando para eles de frente. As telas têm bordas mínimas e furo centralizado na parte superior para abrigar a câmera de selfies. Além disso, não há praticamente nada mais que se pareça entre os dois, incluindo o formato, levemente mais reto no Galaxy A52.

  • Galaxy A52: 159,9 x 75,1 x 8,4 mm, 189 g;
  • Moto G60: 169,7 x 75,9 x 9,7 mm, 220 g.

O modelo da Motorola tem dimensões maiores, mas isso se dá basicamente por conta da tela ser consideravelmente maior. São 0,3 polegadas a mais, mas a ocupação da parte frontal é um pouco melhor no display do Moto G60. Já a espessura, consideravelmente maior, se explica por conta do tamanho de cada bateria: o modelo da Samsung possui 1.500 mAh a menos de carga.

Com relação aos botões físicos, ambos possuem volume e energia na lateral direita. O Moto G60 tem um a mais, que é o exclusivo do Assistente do Google. Na lateral esquerda, você encontra as gavetas de chips, com um espaço híbrido para cartão SIM ou micro SD em ambos. O conector de fone de ouvido está presente nos dois celulares, mas em locais diferentes: em cima no celular da Motorola, e embaixo, no da Samsung.

Laterais e traseira possuem acabamento em plástico, que é fosco no Galaxy A52 e brilhante, com um efeito degradê no Moto G60. A Samsung oferece mais opções de cores: azul, branco, preto ou violeta. A Motorola tem apenas duas alternativas no Moto G60, azul ou champagne. O local do leitor de impressão digital também é diferente, ficando sob a tela no primeiro e na traseira no segundo.

No Moto G60, módulo de câmeras tem "tampa" própria (Imagem: Ivo/Canaltech)

A tampa de trás, aliás, tem mais diferenças além do acabamento. Ambos possuem módulo de câmeras retangular, mas enquanto o Galaxy A52 integra tudo em uma única peça, o Moto G60 tem uma boa divisão, e a cor da parte saltada tem tonalidade diferente do restante. Ambos possuem coluna com três sensores à esquerda, mas somente o modelo da Samsung tem um quarto sensor junto ao flash em uma segunda coluna.

Por fim, o celular da empresa sul-coreana tem uma grande vantagem sobre seu concorrente: é resistente à água e poeira, com certificação IP67. Ele pode ser mergulhado em até 1,5 metro de água doce por até 30 minutos sem danificar os componentes internos. Esta é uma característica difícil de encontrar em aparelhos intermediários — aliás, há muitos topo de linha sem esta proteção.

Tela

Tela do Galaxy A52 é Super AMOLED, com cores vívias e contraste marcante (Imagem: Ivo/Canaltech)

Como já mencionado aqui, a tela do Moto G60 é maior que a de seu concorrente. São 6,8 polegadas contra 6,5 polegadas, além de uma diferença na proporção: 20,5:9 contra 20:9. O que isso significa? Que o celular da Motorola está mais próximo da relação altura e largura de 21:9 de uma tela de cinema do que o Galaxy A52, apesar de este não estar muito longe disso. Em termos práticos, você terá menos bordas pretas ao assistir a filmes quanto mais próximo da visão de cinema estiver.

  • Galaxy A52: Super AMOLED de 6,5 polegadas com resolução Full HD+ (1080 x 2400 pixels), 90 Hz;
  • Moto G60: IPS LCD de 6,8 polegadas com resolução Full HD+ (1080 x 2460 pixels), 120 Hz.

Outra diferença está na taxa de atualização do conteúdo exibido, que é de 120 Hz no Moto G60 e de 90 Hz do Galaxy A52. A diferença na fluidez é quase imperceptível, e por ora há poucos aplicativos compatíveis com essa melhoria. Já dá para aproveitar alguns jogos com taxa de quadros maior no primeiro do que no segundo, o que deve fazer do modelo mais novo um pouco mais atraente para os gamers.

Moto G60 tem como vantagem a taxa de atualização de 120 Hz (Imagem: Ivo/Canaltech)

Há uma diferença importante, ainda: o tipo de painel. O Galaxy A52 tem display Super AMOLED, que entrega cores mais vívidas e contraste mais marcante que o IPS LCD de seu concorrente. Além de alcançar brilho mais alto, o que significa mais conforto para usar na rua. E o fato de a tecnologia ocupar menos espaço também ajuda a explicar a diferença grande na espessura dos dois modelos.

Câmeras

O Galaxy A52 traz conjunto quádruplo na traseira, enquanto o Moto G60 tem um “apenas” triplo. Porém, há uma vantagem no modelo da Motorola, que tem uma câmera híbrida que faz fotos com campo de visão ampliado e macro com foco automático. O celular da Samsung possui foco fixo na ultra wide e também nas fotos de objetos muito aproximados.

  • Galaxy A52: 64 MP (f/1.8, principal) + 12 MP (f/2.2, ultra wide) + 5 MP (f/2.4, macro) + 5 MP (f/2.4, profundidade); 32 MP (f/2.2, frontal);
  • Moto G60: 108 MP (f/1.7, principal) + 8 MP (f/2.2, ultra wide/macro) + 2 MP (f/2.4, profundidade); 32 MP (f/2.2, frontal).

A qualidade em si é ligeiramente melhor no Galaxy A52 na maior parte dos cenários. Não me leve a mal, o Moto G60 tem um conjunto de câmeras excelente, um dos melhores que já vi em um Moto G. Mas a Samsung está alguns degraus acima em processamento de imagem, além de oferecer estabilização óptica na câmera principal de seu intermediário — o que significa fotos tremidas com muito menos frequência.

O fato de ter mais pixels não ajuda tanto assim o Moto G60, mas reduz consideravelmente a desvantagem em fotos com pouca luz. Ambos trabalham muito bem nestes cenários, que eram um dos maiores pontos dos celulares há alguns anos. O modo noturno, aliado a tecnologias que ajudam a aumentar a sensibilidade à luz, ajudou demais a avançar nesse sentido.

As fotos com a câmera super grande-angular e com a macro ficam melhores com maior facilidade no smartphone da Motorola por conta do foco ajustável. O fato de ter distância focal fixa no modelo da Samsung atrapalha um pouco, apesar de ser mais amplo e, teoricamente, mais difícil de a imagem ficar desfocada.

Nas selfies, ambos também conseguem trabalhar bem, considerando que são celulares intermediários. O Moto G60 tende a estourar mais o fundo para priorizar o objeto da imagem, mas o Galaxy A52 consegue resolver isso muito bem com um HDR ótimo, que reduz a claridade no fundo sem deixar de destacar o seu rosto. À noite, ambos sofrem um pouco para entregar resultados bons, mas dá para usar o flash frontal do modelo da Motorola ou a iluminação da tela no da Samsung para resolver — ou o modo noturno.

Na gravação de vídeos, esses smartphones ficam devendo o 4K a 60 fps, mas alcançam esta resolução com 30 quadros por segundo. Aqui, mais uma vez, o sistema de estabilização óptica do modelo da Samsung é uma vantagem. As gravações com a principal ficam menos tremidas mesmo sem o uso de um suporte.

Processador e memória

Apesar de terem plataformas aparentemente diferentes, Galaxy A52 e Moto G60 entregam potência e desempenho muito próximos. Ambos ainda contam com a mesma quantidade de memória RAM e armazenamento, com 6 GB e 128 GB, sendo que ainda é possível expandir o espaço com um cartão micro SD.

  • Galaxy A52: Snapdragon 720G (2x 2,3 GHz Kryo 465 Gold + 6x 1,8 GHz Kryo 465 Silver), Adreno 618;
  • Moto G60: Snapdragon 732G Octa-core (2x 2,3 GHz Kryo 470 Gold + 6x 1,8 GHz Kryo 470 Silver), Adreno 618.

De certa maneira, dá para dizer que o Moto G60 possui plataforma que é uma atualização da que está presente no Galaxy A52. Curioso é que, nos testes de benchmark, praticamente não há diferença, possivelmente por conta do fato de ambos terem a GPU Adreno 618. A pontuação dos aparelhos no teste Wild Life Extreme, do 3D Mark, fica na mesma faixa.

O Moto G60 deve ter uma vantagem quase imperceptível no processamento de dados, mesmo, já que possui núcleos levemente mais velozes, além de uma arquitetura mais recente. No dia a dia, você não vai sentir diferença entre o modelo da Motorola ou o Galaxy A52, e eu não escolheria o primeiro só por conta dessa diferença.

Até porque a Samsung é mais ativa em atualizações de software, e deve entregar até três versões do Android e quatro anos de atualizações de segurança. Ou seja, por enquanto o aparelho está garantido até o Android 14. O Moto G60 só está com o Android 12 garantido, e só será atualizado para o 13 se houver uma mudança de política de atualizações na Motorola, o que não parece que vai acontecer.

Conectores P2 e USB-C estão na parte inferior do Galaxy A52 (Imagem: Ivo/Canaltech)

Bateria

E aí entramos no primeiro ponto em que o Moto G60 realmente oferece vantagem clara sobre seu concorrente. Com muito mais bateria, o celular da Motorola pode durar até três dias longe da tomada, se você economizar bem, usar brilho quase sempre baixo e tiver poucos aplicativos em segundo plano.

O Galaxy A52 pode aguentar até dois dias de uso normal, e dificilmente vai passar muito disso. O mais provável é que, depois que você instalar mensageiros e redes sociais, que puxam muita energia em segundo plano, o celular aguente um dia com uma boa quantidade de carga à noite, mas deve pedir uma tomada no meio do segundo dia de uso. Ou seja, pode ser uma boa carregá-lo ao menos um pouquinho todos os dias.

Com relação à recarga, além de ter bateria com menor capacidade, o modelo da Samsung também possui carregador mais potente, de 25 W. Ele consegue preencher os 100% da carga (partindo de 0%) em menos de 2 horas. Já seu concorrente precisa de 2 horas e 20 minutos para fazer o mesmo processo. Claro que, considerando a carga maior, ele ainda entrega mais tempo de uso com menos tempo de recarga.

Moto G60 tem o USB-C embaixo e P2 na parte de cima (Imagem: Ivo/Canaltech)

Galaxy A52 vs Moto G60: qual vale a pena?

O Moto G60 é um dos melhores Moto G que eu já testei, e eu tive em minhas mãos praticamente todos os modelos da linha desde o Moto G4. Infelizmente, porém, algumas escolhas da Motorola o deixam consideravelmente atrás do Galaxy A52 quando você compara os dois lado a lado.

Tela Super AMOLED, certificação IP67 e atualizações garantidas são diferenciais que eu recomendo a você levar em conta na hora de comprar um celular que não custa muito barato, como é o caso destes intermediários. O smartphone da Samsung tem tudo isso, enquanto o Moto G60 tem display IPS LCD, que pode incomodar quem precisa de brilho alto para usar em ambientes externos, e possivelmente vai receber apenas atualizações de segurança depois de atualizar para o Android 12. E só até abril de 2023, quando completará dois anos de seu lançamento.

Claro que, no caso de a diferença de preço ser muito grande, você fará um ótimo negócio ao optar pelo modelo da Motorola. Mas o Galaxy A52 é um investimento melhor a longo prazo, então é bom colocar tudo isso na balança. E ele só perde mesmo em tempo de uso, que ainda é muito bom e certamente ultrapassa um dia longe da tomada.

Em matéria de desempenho e câmeras, são dois smartphones muito bons na faixa de preço em que saíram, e ambos já estão consideravelmente mais baratos no varejo online. O Galaxy A52 foi anunciado por R$ 3.300, e chegou a seu menor valor em meados de julho, quando chegou a quase metade do preço original e voltou a subir. Já o Moto G60, lançado por R$ 2.700, chegou a seu menor preço no final de junho, e desde então subiu pouca coisa.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.