Apple começa a se preparar para a morte do iPhone

Por Redação | 04 de Julho de 2017 às 15h57

Apesar do iPhone ser um dos produtos mais bem sucedidos de todos os tempos, a Apple já deve se preparar para a possibilidade de que, em um futuro próximo, novos dispositivos substituam os smartphones. Assim como a Microsoft, o Google e o Facebook, a Maçã também começará a investir fortemente em tecnologias de realidade aumentada.

De acordo com os especialistas, a RA deverá acabar substuindo todas as telas, incluindo o iPhone. Dessa forma, as gigantes da tecnologia precisam de novos hardwares para se adaptarem a esse processo. Diante do novo cenário, o CEO da Apple, Tim Cook, tem falado bastante sobre realidade aumentada. "A RA vai demorar um pouco, porque há alguns desafios de tecnologia realmente difíceis. Mas ela vai acontecer, e acontecerá de uma maneira grandiosa, e então nos perguntaremos como vivemos sem ela. Assim como hoje nos perguntamos como já vivemos sem o smartphone", disse o executivo no ano passado.

Mesmo dizendo que ainda deve levar algum tempo para a realidade aumentada emplacar de vez, ao que tudo indica, Tim Cook e companhia estão trabalhando em um projeto secreto. É verdade que a Maçã nunca fala sobre os seus futuros produtos, mas o público acaba tendo ideia do que esperar a partir de duas formas principais: através das aquisições da empresa e através dos lançamentos de software.

No início do mês passado, a Apple anunciou o ARKit, software para que os desenvolvedores criem aplicativos de realidade aumentada para o iPhone. Com isso, a expectativa é de que dentro de alguns anos a gigante de Cupertino apresente ao público os seus óculos de RA. Voltando um pouco no tempo, a ambição da Apple em se especializar em realidade virtual começou quando a companhia comprou a Metaio, empresa alemã de RA, em 2015. Interessante notar que foi a tecnologia da Metaio que sustentou o ARKit, com alguns dos seus antigos funcionários trabalhando em um grupo de "projetos especiais" da Apple. Desde então, a gigante de Tim Cook continuou a comprar diversas outras empresas que fabricam tecnologias compatíveis com RA, como a SensoMorotic Instruments.

Pensando em tudo isso, o analista Gene Munster, da Loup Ventures, acredita que o crescimento das vendas do iPhone começará a diminuir na próxima década. Para ele, as vendas do smartphone serão lentamente substituídas por um produto que ele chama de "Apple Glasses", que deverá começar a ser vendido em 2020. Enquanto a previsão é de que o mercado de smartphones cresça apenas 3% ao ano até 2021, a expectativa é de que o crescimento de headsets de realidade virtual e aumentada atinja uma taxa anual acumulada de 198% até 2020.

E então, será que a Apple vai realmente abrir mão do seu iPhone?

Via BusinessInsider

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.